Saia justa do PSDB no julgamento do TSE

Eliane Cantanhêde

06 de junho de 2017 | 19h00

Nos seus 15 minutos de acusação à chapa Dilma Rousseff-Michel Temer no julgamento do TSE, o advogado do PSDB vai tentar sair pela tangente: tende a partir para cima de Dilma e do PT, menosprezando o peso de Temer e do PMDB na campanha.

Num resumo coloquial, dirá que vice não apita nada, não arrecada recursos para a chapa, não gasta praticamente nada, não aparece nos programas eleitorais de televisão e de rádio e, aliás, se não atrapalhar, já ajuda um bocado. Assim, o advogado seguirá as linhas básicas das alegações finais já apresentadas ao TSE, tentando jogar a culpa em Dilma e fazendo contorcionismos para salvar Temer.

Serão 15 minutos complicados, porque foi o PSDB que pediu a reabertura do processo contra Dilma-Temer, depois que o TSE já havia aprovado as contas da campanha, com ressalvas, mas por unanimidade. Nada como um dia atrás do outro e eis que, com o impeachment de Dilma, Temer assumiu a Presidência e os tucanos mergulharam de cabeça no governo. O acusador de antes é o aliado de agora…