Palestra sobre resistência lota prédio da USP
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palestra sobre resistência lota prédio da USP

Renata Cafardo

01 Novembro 2018 | 21h00

Alunos e professores lotaram o vão livre do prédio da História da Universidade de São Paulo (USP) em uma palestra sobre resistência agora à noite. Discursaram os professores da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), André Singer, Vladimir Safatle e Marilena Chauí.

O evento, marcado para às 19 horas, teve de mudar quatro vezes de lugar por causa da quantidade de pessoas. Inicialmente, ele estava previsto para ocorrer em uma sala do prédio das Ciências Sociais. O grupo chegou a entrar em dois auditórios da FFLCH, que também não foram suficientes.

Palestra lotada no prédio da História da USP

Nos discursos, os palestrantes demonstraram o temor com os incidentes como os que ocorreram semana passada em universidades por todo o País. Mas também elogiaram a posição dos ministros do Superior Tribunal Federal (STF) ao condenar a interferência na liberdade de expressão dentro das instituições.

Safatle afirmou que são minoritários os fascistas entre os que votaram em Jair Bolsonaro (PSL). “Temos que nos manter unidos e trazer para o nosso lado esses outros. Assim, formaremos  uma nova maioria democrática.”

“É a hora de mostrar que autocrítica é força e não fraqueza”, disse André Singer, pedindo também união. Singer é professor de Ciência Política da USP e foi porta-voz do governo Lula entre 2003 e 2007.

“A história nos pede para mostrar a quem quer nos impor uma sociedade autoritária que eles perderão hoje e sempre”, concluiu.