Caso pensado

Dora Kramer

26 de agosto de 2016 | 18h49

O presidente do Senado, Renan Calheiros, não fez sua manifestação de hoje chamando o Senado de hospício e se auto incriminando como autor de tráfico de influência junto ao Supremo Tribunal Federal quando atacou a senadora Gleisi Hoffmann, no calor dos acontecimentos.

Teve 24 horas para “dormir” com a declaração de Gleisi feita no dia anterior, apontando falta de “moral” dos senadores para Julgar Dilma Rousseff. Intervalo que indica dolo intencional. O forrobodó deixa Renan a cavaleiro para votar a favor do impeachment.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.