Cai, cai balão

Dora Kramer

26 de setembro de 2016 | 21h19

A subida do candidato tucano nas pesquisas pode ser vista de duas formas: João Dória representa uma “novidade” ou encarna o sentimento de rejeição ao PT, forte em São Paulo como em nenhuma cidade do País. A julgar pelo desempenho dos adversários com ligações petistas tão anteriores como longevas e consistentes, a segunda parece a escolha mais próxima da realidade.

Marta Suplicy, Fernando Haddad e Luiza Erundina se embolam e ao mesmo tempo amargam um quarto lugar na expectativa de não irem ao segundo turno. O que Dória tem de sensacional, além do fato de ser anti-PT? Coisa alguma Marta, Haddad e Erundina cometeram qual pecado? Pelo jeito, ter pertencido ao PT.

Tendências: