Votações no Congresso preocupam Bolsonaro

Votações no Congresso preocupam Bolsonaro

Coluna do Estadão

29 de outubro de 2018 | 05h30

SINAIS PARTICULARES: Jair Bolsonaro, presidente eleito; por Kleber Sales

Definida a eleição, o Congresso retoma a agenda de votações e vai se debruçar sobre temas como o reajuste de ministros do Supremo, que deve puxar a discussão sobre aumento para deputados e senadores. O vice-presidente eleito, general Mourão, disse à Coluna que “a criação de novas despesas preocupa a equipe” e antecipou que Bolsonaro deve tentar barrar um eventual reajuste para parlamentares por não estar previsto. “O orçamento não tem espaço para isso. É a questão da pizza: se aumentar uma fatia, outras vão ficar espremidas”, afirma.

Passe livre. Mourão não enxerga problema no aumento para o STF, uma vez que há previsão orçamentária para elevar os salários dos ministros de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil.

Na pauta. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), confirmou à Coluna que vai concluir a votação do reajuste do Supremo. Ele nega articulação em curso para aumentar os salários dos congressistas.

Barrado no baile. O vice de Bolsonaro não estava ao lado dele na hora da apuração dos votos. A companhia aérea cancelou seu voo. Só chegou ao Rio às 21 horas.

Muda tudo. O sistema de segurança do Planalto será totalmente alterado para receber o presidente eleito. O estudo prevendo as mudanças está pronto. As novas regras são consideradas necessárias por causa do atentado sofrido por ele na campanha.

De carona. Caso Bolsonaro mantenha sua decisão de viajar para Brasília amanhã, o presidente Temer vai oferecer a ele o avião da FAB. A inteligência do governo confirma que há ameaças reais contra Bolsonaro atestadas por escutas.

Todo cuidado é pouco. A presença da deputada federal eleita Joice Hasselmann (PSL) na festa da vitória do tucano João Doria, que venceu a disputa ao governo de São Paulo, chamou a atenção por dois motivos. Foi a única representante do PSL a comparecer e acompanhada por quatro seguranças.

É golpe! A direção do Senado está surpresa com os questionamentos de senadores recém-eleitos. Um deles ficou indignado ao saber que o auxílio paletó foi extinto. Inconformado, saiu acusando a Casa de estar escondendo o salário extra dos novatos.

Perde… Petistas históricos afirmam que Fernando Haddad sai maior do que entrou nesta eleição por ter se exposto em uma disputa difícil e conseguido apoios como o de Joaquim Barbosa e de Rodrigo Janot.

…ganha. Diz o ex-ministro Ricardo Berzoini: “Temos duas lideranças nacionais hoje: Lula e Haddad”.

Bate-cabeça. Ministro da Fazenda de Bolsonaro, Paulo Guedes rechaça a hipótese de ter de submeter suas decisões a Onyx Lorenzoni. A aliados, diz que isso nunca foi tratado com o “zero um”.

CLICK. A mulher do juiz Sérgio Moro, Rosângela, celebrou o resultado da eleição. Postou foto com o 17 e escreveu: “Feliz”. Bolsonaro disse que convidaria Moro para o STF.

Foto: reprodução Instagram

Vem aí. O STF poderá entrar em rota de colisão com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) já nas próximas semanas, antes mesmo de o capitão reformado subir a rampa do Palácio do Planalto.

Timing. No dia 14 de novembro, está previsto o julgamento de uma ação da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT) que pretende obter a criminalização de todas as formas de homofobia e transfobia. O julgamento foi marcado no final de setembro pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, antes mesmo do primeiro turno.

Olho grande. Cada vez mais presente no palanque de Bolsonaro, o senador Magno Malta (PR-ES) espalha que é cotado para o Ministério da Educação.

PRONTO, FALEI! 

Foto: André Dusek/Estadão

“É um resultado importante para o Brasil. Vamos contribuir ao máximo para o início de um governo com sucesso”, DO MINISTRO ELISEU PADILHA, DA CASA CIVIL, sobre a transição que começa na terça.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABORARAM TÂNIA MONTEIRO E RAFAEL MORAES MOURA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.