Venda de medicamentos do ‘kit covid’ cai até 61% mesmo com o surto da Ômicron

Venda de medicamentos do ‘kit covid’ cai até 61% mesmo com o surto da Ômicron

Camila Turtelli e Matheus Lara

27 de fevereiro de 2022 | 05h00

Presidente defendeu medicamento ineficaz contra a covid-19 ao longo da pandemia e chegou a fazer pronunciamentos promovendo a hidroxicloroquina em mãos, como nesta fala em 2020. Foto: Gabriela Biló/Estadão.

O discurso bolsonarista a favor do uso do ineficaz “kit covid” perdeu respaldo entre a população, mesmo com o recente aumento do número de casos da doença, com a variante Ômicron. Dados mostram que de novembro de 2021 até o fim de janeiro, vendas de ivermectina caíram 61% em comparação ao mesmo período em 2020/2021. O medicamento chegou a ter alta de 921% em relação ao pré-pandemia. A busca por hidroxicloroquina também caiu significativamente: 42%. O levantamento do Conselho Federal de Farmácia (CFF) e da consultoria IQVIA para a Coluna representam derrota para o bolsonarismo, que ao longo da pandemia insistiu na tese do tratamento da covid-19 com essas drogas.

SIMPLES. A principal hipótese para explicar a baixa nas vendas desses medicamentos é que a população preferiu a vacina, sobretudo diante da queda no número de mortes e casos graves da doença.

É ASSIM. “A ciência está vencendo a desinformação. Contam muito os resultados pós-vacinação, como a queda nas taxas de mortalidade, e as sucessivas manifestações das sociedades científicas a favor da medicina baseada em evidências”, avaliou o farmacêutico Wellington Barros, do CFF.

POR AÍ. Estados em que Jair Bolsonaro saiu vitorioso no 2.º turno de 2018 estão entre os que registraram maior queda na venda de hidroxicloroquina em farmácias. Amazonas puxa a lista (-72%). Mato Grosso do Sul (-65%), Paraná (-64%) e Santa Catarina (-61%) aparecem na sequência. São Paulo registrou baixa de 45%.

ALERTA. Apesar da queda nos últimos meses, o patamar de venda de medicamentos do kid covid ainda preocupa. “Embora a tendência seja de declínio, é um índice muito alto ainda”, disse Walter da Silva Jorge João, presidente do CFF.

OPA. Depois de um evento na Zona Sul de São Paulo, onde o vereador Milton Leite (União Brasil) foi ovacionado por uma claque, a reportagem flagrou esses mesmos apoiadores entrando em três ônibus de empresas que atendem à Prefeitura. Leite participou do evento ao lado do presidente da República Jair Bolsonaro, ministros e deputados.

NADA COM ISSO. Questionados sobre o uso dos ônibus para transportar apoiadores no evento realizado na quinta-feira, 24, Milton Leite disse desconhecer o assunto.

TAMBÉM NÃO. A SPTrans disse desconhecer a atividade e que a empresa de ônibus não comunicou a SPTrans e será autuada pela legislação vigente por realizar serviço não autorizado. “Não houve prejuízo no atendimento à população, pois os ônibus não constavam na programação”.

CLICK. Michelle Bolsonaro, primeira-dama

Enquanto Jair Bolsonaro evitava condenar os primeiros ataques russos à Ucrânia, a primeira-dama tomou lado: “Orando pelo povo ucraniano”, publicou.

FANTASIA… O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, está em ritmo de pré-campanha para concorrer ao seu sonhado governo do Rio Grande do Sul. Empenhado nessa missão, ele deve concentrar suas agendas no Estado.

…DE CARNAVAL. Nesta semana, ele foi palestrante convidado em um almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), no Estado, onde confirmou sua pré-candidatura.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Onyx Lorenzoni, ministro do Trabalho

PRONTO, FALEI! José Luiz Penna, presidente do PV

“Bolsonaro foi apresentar solidariedade a Putin dias antes da invasão da Ucrânia. Precisamos unir forças democráticas contra este irresponsável no governo”

COLABOROU PEDRO VENCESLAU

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.