“Vamos derrotar Lula na eleição e, depois, pôr Luiz Inácio na prisão”, diz Doria sobre blindagem

“Vamos derrotar Lula na eleição e, depois, pôr Luiz Inácio na prisão”, diz Doria sobre blindagem

Marcelo de Moraes

15 Julho 2017 | 11h29

Foto: Reprodução/TV Estadão

O prefeito de São Paulo, João Doria, reagiu nesse sábado ao relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP), que incluiu em seu parecer, na Comissão de Reforma Política, artigo que, se aprovado, vai impedir a partir da eleição de 2018 a prisão de candidatos até oito meses antes da eleição. A mudança altera o Artigo 236 do Código Eleitoral, que proíbe a prisão 15 dias antes do pleito e ganhou o apelido de “emenda Lula” por blindar o petista. A manobra foi revelada pela Coluna do Estadão.

“Vamos derrotar o Lula na eleição e, depois, pôr o Luiz Inácio na prisão”, afirmou o prefeito à Coluna. Doria é um dos principais nomes discutidos pelo PSDB para ser candidato à sucessão presidencial em 2018, ao lado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Hoje, Doria é quem aparece com o melhor desempenho entre os tucanos nas pesquisas de intenção de voto. Lula lidera em todos os cenários.

“Vamos derrotar Lula no voto e aplicar a sentença no Luiz Inácio. O mito só acaba na derrota eleitoral de Lula”, acrescenta o prefeito.

Candidato à sucessão presidencial, o petista foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de cadeia. Se o TRF mantiver a sentença dada por Moro, Lula poderá se beneficiar da nova regra eleitoral.

O deputado Vicente Cândido admitiu à Coluna que a nova regra beneficia Lula e que foi pensada para “blindar” não só ele, mas políticos investigados. “Lula também, como qualquer outro. É nossa arma contra esse período de judicialização da política.”

Mais conteúdo sobre:

João DoriaLulaemenda Lula