Vácuo na comunicação preocupa deputados

Vácuo na comunicação preocupa deputados

Coluna do Estadão

01 de maio de 2019 | 05h00

Reprodução

Com o ministro Santos Cruz e o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, em rota de colisão, há forte preocupação entre os deputados da Comissão Especial da reforma da Previdência com a possibilidade de ficarem sozinhos defendendo a mudança nas aposentadorias. Até agora o governo não pôs em pé campanha publicitária sobre o tema. A pedido dos parlamentares, Jair Bolsonaro deve aproveitar pronunciamento de hoje para falar do assunto, e a líder Joice Hasselmann promete dar suporte com informações e estratégias para redes sociais.

Na ponta… Vice-presidente da comissão, Silvio Costa Filho (PRB-PE), por exemplo, tem usado números para tratar do assunto de forma pedagógica.

…do lápis. Ele tem comparado o déficit estimado para 2019, de R$ 319 bilhões, com os gastos com saúde, educação e o Bolsa Família, que, somados, chegam a R$ 270 bilhões.

Quase. A despeito da união em torno das comemorações deste Primeiro de Maio, não há total consenso entre as dez maiores centrais sindicais sobre a reforma da Previdência. A UGT é a favor de alguma mudança nas regras.

Semântica. No embalo de chamar a reforma de Nova Previdência, o governo vai tratar o sistema de capitalização de “poupança garantida”. A orientação foi transmitida a aliados.

SINAIS PARTICULARES. João Roma, deputado federal (PRB-BA)

Kleber Sales

Vá… Para combater os argumentos de que o Coaf na Justiça o transforma em superministro, Sérgio Moro foi aconselhado a deixar claro que a instituição tem procedimentos padrões, independentes do ministério ao qual esteja vinculado.

…por mim. João Roma (PRB-BA), presidente da comissão que analisa a nova estrutura da Esplanada, acredita que esse discurso pode esvaziar os argumentos de quem teme uma caça às bruxas comandada por Moro no Congresso.

Hermanos. Presidente da Comissão de Defesa e Relações Exteriores da Câmara, Eduardo Bolsonaro articula com sua contraparte argentina, Cornelia Schmidt-Liermann, para soltarem nota conjunta conclamando os militares venezuelanos a se somarem a Juan Guaidó.

Nota de corte. Em reunião com deputados, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou, segundo relatos dos presentes, que formados em antropologia, sociologia e cursos de humanas são “sugadores de impostos” e não dão retorno para a sociedade.

Para entender. Ao Estado, Weintraub chegou a dizer que o MEC cortaria recursos de universidades que promovessem “balbúrdia”. A UnB afirma que houve tesourada na sexta-feira passada, um dia depois de a universidade abrigar evento estudantil com Fernando Haddad (PT).

Reação. Docentes da UnB realizarão assembleia. Eventual paralisação será discutida, mas a entidade quer priorizar uma resposta jurídica ao ministro e uma campanha de fortalecimento das universidades.

CLICK. Relator da reforma, Samuel Moreira volta a se reunir hoje com consultores da Câmara e do Ministério da Economia para tratar dos detalhes da nova Previdência.

Divulgação/gabinete Samuel Moreira

Diplomacia. No jantar em que o governador de São Paulo, João Doria, realizou em homenagem à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a conversa girou em torno do papel das instituições. “Essa aproximação entre nós é benéfica para todos”, disse ela.

Cuma? O general Ramos, do comando militar do Sudeste, cantou cedo a pedra de que a tentativa de Guiadó tomar o poder na Venezuela não estava caminhando bem. Quando o venezuelano anunciou que teria apoio militar,  Ramos apontou: “Quem são esses generais? São quantos? Tem tropa? A coisa está confusa”.

Alô? Aliás, é paulista a tropa que está operando na operação acolhida dos venezuelanos na fronteira. Quando o conflito eclodiu ontem, Ramos passou o telefone para Pacaraima. Com a fronteira fechada, disseram que estava tudo tranquilo. O campo de batalha ficou mais restrito mesmo a Caracas.

PRONTO, FALEI!

André Dusek/Estadão

Shéridan, deputada federal (PSDB-RR): “Acho irresponsável políticos fazerem politicagem, usarem de palanque um tema tão sensível como este”, sobre publicações em redes sociais sobre Venezuela.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao