TST decide que funcionários dos Correios vão pagar pelo plano de saúde

TST decide que funcionários dos Correios vão pagar pelo plano de saúde

Leonel Rocha

12 de março de 2018 | 19h30

 

O Tribunal Superior do Trabalho decidiu nesta segunda-feira que os 106 mil funcionários dos Correios vão passar a pagar um percentual do custo do plano de saúde oferecido pela estatal. O valor da mensalidade será proporcional do salário e varia de 2,5% a 4,4 % sobre os vencimentos brutos. A proposta foi feita pelo ministro Aloysio Correa da Veiga e acatada pelo tribunal.

A decisão do TST foi resultado do impasse nas negociações sobre o dissídio coletivo da categoria. Com isto, a empresa espera reduzir, em médio prazo, um terço as despesas que gasta com o plano de saúde, hoje estimada em R$ 500 milhões por ano. “Demos o primeiro passo para a solução da crise financeira e contábil da companhia”, comemorou o presidente dos Correios, Guilherme Campos.

O TST deu prazo até julho de 2019 para que a empresa e os servidores cheguem a um acordo sobre a manutenção dos pais como dependentes dos funcionários e quem financiará esta despesa. Até lá, os pais continuam dependentes e com direito ao atendimento médico completo.

Os cônjuges dependentes dos servidores vão pagar 65% do que paga o titular do plano. O percentual parta filhos menores será de 35% em cima dos salários dos pais. Os servidores protestaram contra a mudança com uma paralisação parcial das atividades nesta segunda-feira.

Segundo a federação dos trabalhadores dos Correios, o pagamento de 100% dos custos do plano pela empresa fazia parte de um acordo para compensar o não reajuste salarial dos últimos anos. (Leonel Rocha)

Tudo o que sabemos sobre:

CorreiosTSTplano de saúde

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.