Tribunal banca Moro e empareda o Supremo

Tribunal banca Moro e empareda o Supremo

Coluna do Estadão

28 de novembro de 2019 | 05h00

Ministro Sérgio Moro. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

A decisão do TRF-4 no caso do “sítio de Atibaia” está carregada de simbolismos, a começar pela pena atribuída a Lula: 17 anos, número usado por Jair Bolsonaro na campanha. O mais importante deles, porém, está na contundência com que o tribunal referendou o trabalho do ex-juiz Sérgio Moro e da juíza Gabriela Hardt, responsáveis pelo processo na primeira instância. Uma eventual decisão dos desembargadores em sentido contrário (pró réu) facilitaria o caminho para o STF decidir pela suspeição de Moro no caso do triplex, dizem juristas e políticos.

Espada… Como não aceitou a tese da defesa de Lula e ainda aumentou a pena, o TRF-4 emparedou novamente o STF em uma decisão envolvendo o ex-presidente. Caberá à Corte matar sozinha no peito a tese da suspeição de Moro.

…na garganta. O processo relativo à suspeição de Moro está na Segunda Turma do Supremo. No caso do sítio, o ex-juiz e atual ministro da Justiça comandou apenas a fase de instrução (antes da sentença). Ainda assim, a defesa pede a anulação de todos processos contra o ex-presidente.

Cravo e ferradura. Com sinais trocados e em casos distintos, STF e TRF-4 fustigaram os polos radicais do espectro político. Se em Porto Alegre o tribunal condenou Lula, em Brasília a decisão da Corte se encaminha para impor um revés às pretensões do senador Flávio Bolsonaro (RJ).

Nova… Depois de eleger 17 parlamentares para o Congresso e Assembleias Legislativas ano passado, o movimento RenovaBR forma sua segunda turma: mais de mil alunos (30 diferentes partidos e outros 41% ainda sem filiação, presença em 400 cidades).

…fornada. Os formandos devem concorrer às prefeituras e Câmaras Municipais em 2020. O curso RenovaBR Cidades 2019 durou quatro meses (carga horária de 96 horas). A formatura será no próximo dia 7 de dezembro em São Paulo.

CLICK. Fundador do RenovaBR, Eduardo Mufarej discursa na abertura de encontro presencial dos alunos RenovaBR 2019 do Estado de São Paulo, na capital.

COLUNA DO ESTADÃO

Abriu… Depois de semanas de atritos entre Legislativo e Executivo, o governo começou a pagar o prometido em emendas pela votação da Previdência: R$ 20 milhões, em média, para cada voto a favor.

…a torneira. Com a aprovação da MP do Médicos pelo Brasil ontem, o governo já dá como certo que a crise acabou, a despeito de alguns líderes continuarem queixosos. A liberação ficou em R$ 2,3 bilhões, R$ 1,9 bilhão para a Câmara e R$ 400 milhões para o Senado.

BFF. A paz momentânea foi selada com os líderes, Rodrigo Maia e Luiz Eduardo Ramos em uma reunião anteontem. O presidente da Casa conseguiu “neutralizar” líderes mais rebeldes e o governo foi só elogios à sua condução na crise.

Tanque cheio. Como resultado das muitas demandas que chegam à porta do governo neste final de ano, incluindo as emendas, um articular palaciano diz que o saldo final é um só: o “posto Ipiranga” Paulo Guedes, terá de abrir a carteira.

SINAIS PARTICULARES

Paulo Guedes, ministro da Economia

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Outsider. Apesar de não participar da vida orgânica do PSB, o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa é esperado em evento do partido hoje, no Rio. Para efeito de eventual candidatura, porém, é tido na legenda que o cavalo passou arriado na frente dele em 2018 e ele não montou. Para 2022, a história é outra.

PRONTO, FALEI!

Felipe Carreras Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Felipe Carreras (PSB-PE): “O ECAD é uma caixa preta, que já foi condenada pelo Cade por formação de cartel. Temos assinaturas de sobra para abrir uma CPI. É unanimidade”.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.