Toffoli autoriza que Pezão permaneça no Batalhão Especial quando mandato acabar

Toffoli autoriza que Pezão permaneça no Batalhão Especial quando mandato acabar

Andreza Matais e Juliana Braga

28 Dezembro 2018 | 18h37

Foto: Wilton Júnior/Estadão

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, autorizou que o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, permaneça sob custódia no Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar, mesmo após a conclusão de seu mandato.

Segundo o ministro, o risco potencial de que ele seja transferido em 1º de janeiro justifica a adoção de medida preventiva, para “frente à dignidade do cargo ocupado, obstar a admissão de qualquer tipo de medida que possa comprometer a segurança pessoal, física e psíquica do custodiado”.

Toffoli ressalva ainda que a decisão pode ser revista pelo ministro Alexandre de Moraes, juiz natural da causa.

Pezão está preso preventivamente desde 29 de novembro, quando foi deflagrada a Operação Boca de Lobo.

No pedido de prisão, a procuradora Geral da República, Raquel Dodge, afirmou haver registros documentais do pagamento em espécie a Pezão de mais de R$ 25 milhões entre 2007 e 2015. (Andreza Matais e Juliana Braga)