Tarcísio prepara estratégia para rebater corrupção no governo Bolsonaro

Tarcísio prepara estratégia para rebater corrupção no governo Bolsonaro

Mariana Carneiro, Matheus Lara e Gustavo Côrtes

16 de maio de 2022 | 05h01

Aliados de Tarcísio de Freitas (Republicanos) querem usar um projeto que ele patrocinou no Ministério da Infraestrutura como um trunfo eleitoral na campanha do agora pré-candidato do presidente Jair Bolsonaro ao governo paulista. Durante a passagem dele pelo ministério, a pasta identificou e encaminhou a órgãos de controle e autoridades policiais quase 300 denúncias de irregularidades e suspeitas de fraudes desde 2019. Elas suscitaram quatro operações da Polícia Federal, em 2020 e 2021. A estratégia é uma vacina contra questionamentos de casos de corrupção no governo Bolsonaro. Ao menos em sua “casa”, argumentam aliados de Tarcísio, pode-se defender a ordem.

O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil.

FARO FINO. O projeto foi batizado de “Radar Anticorrupção” e ficou a cargo da delegada federal Fernanda Costa de Oliveira. As operações da PF investigaram denúncias de fraudes em licitações da Infraero em governos do PT e acusações de corrupção passiva e sonegação fiscal de servidores.

NÃO ROLOU. A delegada até tentou replicar o projeto nos ministérios da Saúde, Educação, Casa Civil, Minas e Energia, Defesa e Desenvolvimento Regional. Não houve interesse nas outras pastas.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Tarcísio de Freitas, ex-ministro da Infraestrutura

CLICK. Simone Tebet, presidenciável do MDB

Ganhou de presente turbante de Simone Lucia, membro da associação quilombola do Jardim Cascata, da cidade de Aparecida de Goiânia (GO).

PRONTO, FALEI! Marco Aurélio Carvalho, coordenador do Prerrogativas

“O TSE agiu de forma acanhada e meramente reativa às fake news em 2018. Esperamos que neste ano a corte cumpra seu papel e dê uma resposta à altura.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.