Assassinato de homem negro eleva tensão na eleição em Porto Alegre

Assassinato de homem negro eleva tensão na eleição em Porto Alegre

Coluna do Estadão

21 de novembro de 2020 | 05h00

Os candidatos à prefeitura de Porto Alegre Manuela D’Ávila (PCdoB) e Sebastião Melo (MDB) Foto: Dida Sampaio/Estadão e Reprodução/Facebook

Integrantes das linhas de frente das campanhas de Sebastião Melo (MDB) e Manuela D’Ávila (PCdoB) acreditam que o brutal assassinato de um homem negro num supermercado de Porto Alegre deve acabar contaminando a reta final da disputa pela prefeitura da capital gaúcha. Os candidatos correram para declarar repúdio à morte de João Alberto Freitas. Apesar de o efeito ainda ser incerto na eleição, ambos veem com cautela o episódio que tomou proporções nacionais. Pesquisas recentes mostram Melo à frente de Manuela.

Disputa. Há temor entre apoiadores de Sebastião Melo (MDB) de que Manuela D’Ávila (PCdoB) aborde politicamente o episódio. Em especial, por conta do apoio recebido pelo emedebista do candidato derrotado no primeiro turno Valter Nagelstein (PSD).

Polêmico. Nagelstein foi muito criticado por ter dito: “Basta a gente ver a composição da Câmara, cinco vereadores do PSOL. Muitos deles, jovens, negros. (…) Sem nenhuma tradição política (…) e com pouquíssima qualificação”.

Fique aí. A campanha de Melo tenta afastá-lo ao máximo de Nagelstein. No perfil do emedebista nas redes sociais, internautas cobram a falta de reprimenda dele à fala do candidato derrotado. Apesar de não ser bolsonarista, Melo tornou-se o nome da direita na capital gaúcha.

Linha tênue. A campanha do PCdoB, contudo, vê a tragédia com muita cautela e não planeja explorar eleitoralmente o episódio, porém não deixou de se manifestar. Manuela e Melo lamentaram publicamente a morte de João Freitas.

Parada. Manuela participou de uma reunião com a bancada negra de Porto Alegre. Melo cancelou suas agendas públicas em sinal de “luto” ontem.

Como nos… Porém, neste último final de semana antes do segundo turno, Melo promete atuar como um político “das antigas” do MDB, partido ao qual está filiado desde os anos 80.

…velhos tempos. O candidato quer gastar a sola do sapato nas ruas de Porto Alegre pedindo votos, sem economizar nas agendas.

SINAIS PARTICULARES. 
Sebastião Melo, candidato do MDB à prefeitura de Porto Alegre (RS)

Ilustração: Kleber Sales

CLICK. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), foi a novidade do programa de TV de Duarte Júnior (Republicanos), candidato dele à prefeitura de São Luís.

Reprodução

Escolhido. Claudio Lottenberg foi eleito, por  unanimidade, para assumir a presidência da Confederação Israelita do Brasil (Conib). Em seu discurso de posse, pediu um minuto de silêncio em solidariedade a João Alberto Freitas.

Metas. Lottenberg afirmou estar diante de uma desafiante missão: representar a comunidade judaica e coordenar os movimentos políticos dentro de um equilíbrio que fortaleça o bem-estar e as relações do Brasil com o Estado de Israel.

Não agora. Nas redes sociais, a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico de SP, Patrícia Ellen, disse que, neste momento, não pensa nas eleições de 2022. Conforme mostrou a Coluna, o nome dela já é cogitado nos bastidores para a sucessão de João Doria ou para ser vice do tucano, seja em chapa à reeleição ou na disputa ao Planalto.

Ciumeira. Embaixadores dos países europeus em Brasília sinalizaram que não querem perder protagonismo político-ambiental para o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden. Alegam que estão nessa trincheira há mais tempo.

PRONTO, FALEI! 

Caetano Veloso no documentário ‘Narciso em Férias’ Foto: VideoFilmes

Caetano Veloso, músico e escritor: “Sou meio preto e acho que os brasileiros têm de admitir que, como grupo, todos somos. O país é, como disse Joaquim Nabuco, mais dos africanos escravizados do que de ninguém mais. Porque foi construído principalmente por eles. Temos que mudar muita coisa.Não pode ficar como vinha e vem sendo. Tem de ser diferente.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.