Tempestade perfeita para Lula no STF em 2021?

Tempestade perfeita para Lula no STF em 2021?

Coluna do Estadão

30 de dezembro de 2020 | 05h00

No despacho em que abriu os arquivos hackeados da Lava Jato para a defesa de Lula, Ricardo Lewandowski reitera que as mensagens foram periciadas, “atestando” a integridade do material sobre o qual pairavam dúvidas. A decisão do ministro do STF foi entendida na comunidade jurídica como a mais importante sobre a possibilidade ou não de utilização das mensagens no julgamento da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. Não são poucos os que enxergam espaço para uma revisão das posições da ministra Carmen Lúcia em relação ao petista.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Horizonte. No entorno de Lula, na advocacia e no próprio STF, uma das leituras é a de que começa a se formar a chamada tempestade perfeita a favor das pretensões do ex-presidente e de muitos dos críticos da Lava Jato e de Sérgio Moro.

Sinais. Recentemente, Carmem Lúcia votou por manter a decisão que exclui a delação de Antonio Palocci da ação em que Lula é acusado de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht.

A ver. Interlocutores da ministra dizem que ela ficou impactada com o conteúdo das mensagens.

Simples. O ministro Gilmar Mendes ironiza a reação contra o acesso da defesa de Lula às mensagens hackeadas trocadas pelo então juiz Sérgio Moro com a força tarefa da Lava Jato: “Se foram só conversas de anjos, não muda nada”.

Leia… Os compromissos combinados pela oposição com Baleia Rossi (MDB-SP) embutem um recado sutil a Rodrigo Maia (DEM-RJ) e ligam sinal de alerta no Planalto. Apesar das escaramuças digitais e verbais com Jair Bolsonaro, na prática, Maia dificultou a oposição parlamentar ao presidente.

…com… A mais recente ajuda foi o freio no ímpeto dos deputados que queriam a Câmara mais ativa e operante nas questões envolvendo a vacina. Agora, o bloco PT, PSB, PDT e PCdoB receberam de Baleia a palavra de não barrar CPIs e convocações de ministros.

…atenção. Na carta apresentada a Baleia Rossi, a oposição pediu ainda o compromisso dele em pautar projetos de decreto legislativo, capazes de derrubar decretos presidenciais.

Ponto. Compromissos à parte, repercutiu muito bem na esquerda as declarações de Baleia em defesa de Dilma Rousseff. A ex-presidente foi alvo de Bolsonaro, que ironizou a tortura sofrida por ela na ditadura.

Onde… A questão mais preocupante para o Planalto na disputa pelo comando da Câmara, claro, diz respeito aos pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro.

…mora o perigo. Porém, Baleia Rossi sempre manteve bom trânsito com o presidente e, ao menos até aqui, ninguém no Planalto acredita que ele seria capaz de um gesto brusco. Por ora, é considerado um “independente”, não um inimigo.

CLICK. O presidente Jair Bolsonaro não perdeu a chance de repetir em amistoso de futebol em Santos seu gesto imitado por muitos “boleiros”: o da “arminha”.

Foto: Coluna do Estadão

Retrospectiva… No final de agosto, uma pergunta passou a infernizar a vida de Jair Bolsonaro: por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil nas contas da primeira-dama Michele?

SINAIS PARTICULARES
Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Ilustração: Kleber Sales

…em ilustrações. Questionado, o presidente chegou a ameaçar um repórter. Em dezembro, Bolsonaro afirmou que os depósitos feitos por Queiroz na conta da primeira-dama eram pagamentos pessoais para ele. O caso está sob investigação.

PRONTO, FALEI!
Marcelo Ramos, deputado federal (PL-AM)

Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

“A fala do presidente Bolsonaro precisa ser repudiada por todos que respeitam a Democracia, valorizam a vida e o amor ao próximo. Ironizar a tortura não é conduta aceitável de um Presidente da República. As diferenças que porventura existam com a ex-presidente Dilma não podem permitir a ele e nem a ninguém tamanha agressão. Minha solidariedade à ex-presidente Dilma.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E ELIANE CANTANHÊDE

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.