Temer não deixa nada para Cármen Lúcia assinar

Temer não deixa nada para Cármen Lúcia assinar

Juliana Braga

17 de julho de 2018 | 21h53

Presidente Michel Temer e presidente do Supremo, Cármen Lúcia

A ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, não deve assinar nenhum decreto durante sua interinidade como Presidente da República. É praxe os presidentes deixarem algum despacho para o substituto validar.

O responsável pela Secretaria de Assuntos Jurídicos, ministro Gustavo Rocha, contudo, também está no exterior e preferiu deixar a missão para a próxima semana, quando Temer irá para o México e para a África do Sul.

Em sua passagem anterior pelo Palácio do Planalto, em abril, Cármen Lúcia sancionou a lei que cria o Dia Nacional de Conscientização sobre o Autismo.

Gustavo Rocha, que acumula o Ministério de Direitos Humanos, está nos Estados Unidos para acompanhar a situação de crianças brasileiras separadas durante tentativa de imigrar para o País.

A expectativa do governo brasileiro é de que 95% das 55 crianças brasileiras em abrigos reencontrem seus pais até o próximo dia 26. Uma decisão da Corte federal americana estabeleceu a data como limite para a reunificação das famílias. (Juliana Braga)

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadão

Mais conteúdo sobre:

Cármen LúciaMichel Temer