Temer se pronuncia sobre greve

Andreza Matais

28 de abril de 2017 | 12h18

Atualizado às 19h32

O presidente Michel Temer estuda fazer um pronunciamento no fim do dia sobre a greve geral desta sexta, convocada pelas centrais sindicais. Até o momento, a avaliação de membros da equipe do presidente é que muitas pessoas foram obrigadas a paralisar suas atividades por medo de violência ou pela falta de transporte coletivo. Ou seja, esse grupo não aderiu à greve. O movimento estaria restrito aos sindicalistas. Há também a avaliação de que o fim do imposto sindical é o pretexto maior da greve, marcada para protestar contra a reforma da previdência.

No final do dia, como antecipou a Coluna, Temer divulgou a seguinte nota:

 

Nota oficial

 

As manifestações políticas convocadas para esta sexta-feira ocorreram livremente em todo país. Houve a mais ampla garantia ao direito de expressão, mesmo nas menores aglomerações. Infelizmente, pequenos grupos bloquearam rodovias e avenidas para impedir o direito de ir e vir do cidadão, que acabou impossibilitado de chegar ao seu local de trabalho ou de transitar livremente. Fatos isolados de violência também foram registrados, como os lamentáveis e graves incidentes ocorridos no Rio de Janeiro.

 

O governo federal reafirma seu compromisso com a democracia e com as instituições brasileiras. O trabalho em prol da modernização da legislação nacional continuará, com debate amplo e franco, realizado na arena adequada para essa discussão, que é o Congresso Nacional. De forma ordeira e obstinada, o trabalhador brasileiro luta intensamente nos últimos meses para superar a maior recessão econômica que o país já enfrentou em sua história. A esse esforço se somam todas as ações do governo, que acredita na força da unidade de nosso país para vencer a crise que herdamos e trazer o Brasil de volta aos trilhos do desenvolvimento social e do crescimento econômico.

Michel Temer
Presidente da República