Tarcísio esconde bolsonaristas na campanha e incomoda aliados em SP

Tarcísio esconde bolsonaristas na campanha e incomoda aliados em SP

Mariana Carneiro, Julia Lindner e Gustavo Côrtes

17 de junho de 2022 | 05h01

Bolsonaristas radicais não estão conseguindo visibilidade na campanha de Tarcísio de Freitas (Republicanos) na eleição ao governo de São Paulo, e isso tem incomodado aliados fiéis do presidente. Nos bastidores, a queixa é de que o ex-ministro está tomando distância do bolsonarismo e tem optado por dar espaço a nomes do PSD de Gilberto Kassab em detrimento de quadros do PL. Um dos coordenadores da campanha de Tarcísio, Cezinha de Madureira (PSD-SP) minimiza as críticas. Diz que o distanciamento neste momento se deve à atenção dada pelo candidato à costura de alianças para sua chapa. “Foi Bolsonaro quem escolheu Tarcísio, por ser pragmático, centrado e sabido. Todos eles sabem disso”, diz.

O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil.

INVISÍVEL. As redes sociais de Carla Zambelli e Ricardo Salles fazem pouca ou nenhuma menção ao candidato de Bolsonaro em SP. Ambos deverão tentar uma vaga de deputado pelo PL e são considerados puxadores de voto. Nas redes de Tarcísio, eles também não aparecem.

NEM ASSIM. Nem mesmo a ida do ex-ministro à conferência de conservadores em Campinas agradou. Um crítico disse que ele fez “discurso de um técnico, arrogante”. No evento, Tarcísio fez uma oração de joelhos com Magno Malta.

MUDA. Aliados menos radicais também têm se queixado do candidato. Alegam que ele não convida o pré-candidato ao Senado José Luiz Datena (PSC) para eventos. E que Tarcísio deve orientar sua campanha para setores mais populares. “Ele tem que comer pastel no Mercadão da Lapa”, resume um bolsonarista.

SOBRA. O União Brasil tem tanto dinheiro que não sabe onde gastar. Por ter a irmã tesoureira, o presidente Antonio Rueda tem tido cautela, e a expectativa é de que a sigla devolva parte do R$ 1 bi do fundo eleitoral.

PRONTO, FALEI. Daniel José, deputado estadual (Podemos)

“Somos um país que busca resolver problemas estruturais no puxadinho. Não funciona, apenas o governo terá receita menor”, sobre o projeto que reduz o ICMS.

CLICK. Luiz Inácio Lula da Silva, presidenciável do PT

Reprodução

Junto com o vice, Geraldo Alckmin, se reuniu com governadores e representantes de sete Estados do Nordeste nesta quinta, 16, em Natal (RN).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.