Tarcísio acena à direita não bolsonarista e atrapalha planos de Rodrigo Garcia

Tarcísio acena à direita não bolsonarista e atrapalha planos de Rodrigo Garcia

Mariana Carneiro, Matheus Lara e Gustavo Côrtes

03 de maio de 2022 | 05h01

Representante de Jair Bolsonaro na eleição para governador em São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) tem feito sinais que agradam à centro-direita não bolsonarista e minam possíveis apoios futuros que poderiam fluir a Rodrigo Garcia (PSDB). Numa aproximação com quadros do PSD, ele nomeou Guilherme Afif Domingos, um dos fundadores do partido, como coordenador de seu plano de governo e, nos bastidores, escalou o deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP) para articulações políticas. No Partido Novo, o fato de Tarcísio ter evitado a manifestação do 1.º de maio e se mostrar mais moderado que Bolsonaro foi bem recebido, o que abre chance para uma aproximação.

O ex-ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Foto: Adriano Machado/Reuters

VITAMINA. Tanto o PSD quanto o Novo têm hoje candidatos: Felício Ramuth e Vinicius Poit. Ambos, porém, não pontuam 2%. Já Tarcísio vem indicando crescimento nas pesquisas, e seus aliados preveem que ele passe o segundo colocado, Márcio França (PSB), neste mês. Fernando Haddad (PT) lidera as intenções de voto.

REDE. Garcia, por seu turno, tenta reagir com a máquina. Já viajou a sete cidades do interior em caravanas batizadas de “Governo na Área”, que os prefeitos chamam de “poupatempo”, por acelerar as demandas deles. Estão previstas mais 13 viagens.

TÉCNICO. Afif Domingos afirma que o trabalho com Tarcísio não tem relação com o PSD, mas com o ministro Paulo Guedes, de quem recebeu a missão de fazer “um alinhamento liberal” da agenda paulista com a federal.

PRONTO, FALEI! Júnior Bozzella, deputado federal (União-SP)

“Disputar o Senado seria o mais razoável para Moro, pelo que ele pontua em São Paulo. Tenho dito a ele para não descartar nenhuma possibilidade.”

SINAIS PARTICULARES. Guilherme Afif Domingos, ex-assessor especial do Ministério da Economia

BOCA. “Menos é mais” é o lema de conselheiros de Lula para os discursos do dia 7 de maio, quando será oficializada a sua candidatura. Após a turbulência da declaração sobre policiais, o entorno do petista quer evitar falas extremadas.

CONTRA. Para marcar posição na contracorrente do que vêm pregando PT e PDT nesta eleição, a presidente do Instituto Millenium, Marina Helena Santos, vai defender a reforma trabalhista em fala hoje na Câmara.

CONTRA 2.“Os países que flexibilizaram as regras trabalhistas estão com índices de desemprego em patamares historicamente baixos, enquanto seguimos com desemprego alto e ameaça de alguns presidenciáveis de revogar os poucos avanços que tivemos”, critica.

CLICK. Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Apontado como operador do esquema da ‘rachadinha’, ele tirou fotos com manifestantes bolsonaristas em Copacabana, no Rio, no 1º de Maio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.