Surto da Ômicron adia escolha sobre indicado da Câmara para o TCU

Surto da Ômicron adia escolha sobre indicado da Câmara para o TCU

Camila Turtelli e Matheus Lara

23 de janeiro de 2022 | 05h00

A sede do TCU em Brasília. Foto: Marcos Oliveira/Ag. Senado

O adiamento da volta presencial aos trabalhos da Câmara dos Deputados por causa da Ômicron jogou para frente outro evento muito aguardado pelos parlamentares neste ano: a eleição para a vaga indicada pela Casa no Tribunal de Contas da União (TCU). A expectativa era de que a votação ocorresse ainda em fevereiro próximo, para não se chocar com as pré-campanhas para a eleição de outubro. Agora, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (Progressistas-AL), deve jogar a nova data para os próximos meses. Os deputados candidatos a substituir a ministra Ana Arraes, que completará 75 anos de idade e se aposentará em julho, querem tempo para buscar votos no corpo a corpo.

CHEGA MAIS. Enquanto isso, o deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ), que entrou de vez na disputa pela vaga, se prepara para viajar e pedir votos aos colegas nos Estados.

TAMBÉM QUERO. Já Fabio Ramalho (MDB-MG) vai trocar temporariamente os jantares que costuma oferecer, por telefonemas. Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR) e Soraya Santos (PL-RJ) são os outros dois nomes fortes na disputa.

PEGA FOGO. Como o Estadão mostrou, o Tribunal de Contas vai se tornar uma arena de disputa neste ano eleitoral. Nos próximos meses, a Corte analisará ações relacionadas a pré-candidatos, como o ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro (Podemos) e o ex-procurador Deltan Dallagnol (Podemos-PR), que deve disputar vaga na Câmara dos Deputados, além de medidas tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

CLICK. Fernando Holiday, vereador de São Paulo (Novo)

Já de olho na disputa para uma vaga na Câmara, vereador compartilhou os bastidores de seu “dia de modelo” para atualizar as mídias sociais.

TÁ DE MAL. Parlamentares comentam reservadamente que o governo federal está com dificuldade de encontrar aliados no Senado neste início de ano. O motivo seria a irritação de congressistas da base com o Palácio do Planalto no fim do ano por não terem tido suas emendas empenhadas.

DIFÍCIL. Um parlamentar chegou a classificar o governo federal como “tóxico” nesse momento. A leitura, para ele, tem eco nas pesquisas de intenção de voto, em que Bolsonaro tem patinado e sofrido com alta rejeição do eleitorado.

CASAMENTO. As eleições municipais de 2024 serão um dos principais temas da reunião marcada para a próxima quinta-feira, 27, entre os partidos de esquerda que negociam formar federação ampla: PT, PSB, PCdoB e PV . O encontro será na sede do PSB nacional em Brasília.

AQUECIMENTO. O governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB) assumiu o comando do Consórcio Nordeste de olho em manter o grupo como uma das principais organizações de pressão sobre a gestão da saúde no governo Bolsonaro.

CHEGUEI. Uma das primeiras ações do pernambucano no comando do consórcio foi cobrar urgência do Ministério da Saúde na compra de vacinas Coronavac para crianças e adolescentes.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Paulo Câmara, governador de Pernambuco (PSB)

PRONTO, FALEI! Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo (PT)

“Aconteceu o óbvio: aumentaram as mortes de crianças por causa da covid-19. É a celebração da morte diante da inoperância dos fiscais da lei. Que tragédia”

ALBERTO BOMBIG ESTÁ DE FÉRIAS E RETORNA À ‘COLUNA DO ESTADÃO’ NO DIA 16 DE FEVEREIRO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.