Staff de Lula custa R$ 1,1 milhão aos cofres públicos

Staff de Lula custa R$ 1,1 milhão aos cofres públicos

Governo Temer vai ter que decidir o destino dos assessores de Lula caso ele vá para um presídio

Naira Trindade

26 Janeiro 2018 | 11h50

Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja encarcerado num presídio e não em prisão domiciliar, auxiliares da Secretaria de Administração, ligada ao ministro Moreira Franco, vão precisar se debruçar sobre o que fazer com os oito assessores que o petista tem direito por ser ex-presidente.

LEIA TAMBÉM: Mudança de entendimento do Supremo pode não beneficiar Lula 

O entendimento no governo é de que, em tese, se Lula estiver preso em regime fechado não há porque manter uma estrutura com quatro seguranças, dois assessores, dois motoristas à disposição dele. Esse grupo custa aos cofres públicos R$ 1,1 milhão ao ano só com salários.

A legislação sobre o staff dos ex-presidentes não prevê nenhuma situação que os faça perder o benefício, nem em caso de impeachment. Os ex-presidentes Fernando Collor e Dilma Rousseff, que tiveram os mandatos cassados, também contam com o mesmo contingente de assessores bancados pelos cofres públicos.