SP vai endurecer para ter professor em sala

SP vai endurecer para ter professor em sala

Coluna do Estadão

08 de fevereiro de 2021 | 05h00

Governador de SP João Doria apresenta os últimos dados da eficácia da Coronavac em testes no Brasil. Foto: Governo de SP/Divulgação

O governo de São Paulo afirmou à Coluna que descontará do salário dos professores as eventuais ausências deles no trabalho a partir de hoje, quando está prevista a volta das aulas presenciais no Estado. A exceção será aberta a profissionais com mais de 60 anos ou que apresentem atestado médico confirmando problemas de saúde. Sindicatos de professores anunciaram “greve sanitária” por causa da covid-19. O governo paulista, até ontem, ainda não havia decidido “judicializar” a negociação porque acreditava na baixa adesão à paralisação.

Como é? O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reagiu ao deputado estadual Daniel José (Novo): “Se há um governo que fez o enfrentamento com o sindicalismo, foi o nosso”.

Lembrete. Conforme mostrou a Coluna, o líder do Novo na Assembleia-SP disse que o governo precisa “encarar” e enfrentar os sindicatos pela retomada das aulas presenciais na rede pública do Estado.

Umbigo. O secretário estadual Rossieli Soares (Educação) afirma que São Paulo está “liderando no País a volta às aulas”. E não perde a chance de rebater o líder do Novo na Assembleia: “Minas Gerais, Estado governado pelo Novo, não abriu nem tem previsão de reabrir as escolas”.

Juntos. Avançaram bem no final de semana as negociações entre Doria e Rodrigo Maia (DEM) para a montagem de uma frente contra Jair Bolsonaro e o PT.

Vai que vai. Além de Rogério Rosso, ex-governador do DF e ex-deputado federal pelo PSD, a União Química tem outro importante lobista fazendo a ponte com governo e a área da saúde: o ex-diretor da Anvisa Fernando Mendes, que deixou a agência no ano passado, ao fim do seu mandato.

Cadê… O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), tem insistido com o Ministério da Saúde para que o governo federal apresente um cronograma de vacinação contra a covid-19.

…o bode? À Coluna, disse que a dificuldade lembra a sua infância, quando ajudava o avô a pastorear caprinos no sertão nordestino: “está mais difícil do que botar o bode n’água”.

SINAIS PARTICULARES.
Wellington Dias, governador do Piauí

Ilustração: Kleber Sales

Não tá comigo! Apesar de contar com a simpatia de Jair Bolsonaro, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) não deve esperar nenhuma movimentação do Planalto a seu favor para comandar a CCJ da Câmara. Palacianos, agora, consideram o assunto como “intramuros”.

Melhor… A indicação da deputada virou uma dor de cabeça para Arthur Lira (PP-AL) resolver.

…ajudar. Os aliados de Lira até tentaram barrá-la, mas a ideia arrefeceu porque chegou-se à conclusão de que uma eventual quebra de acordo com o PSL pelo comando da comissão geraria um efeito cascata nos outros colegiados.

CLICK. A secretária do Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patrícia Ellen (à esq.), com empreendedora ajudada por recursos do Estado durante a pandemia.

Reprodução/Instagram

Hey… A desistência do ator Lucas Penteado do Big Brother Brasil mexeu com o mundo político nas redes.

…brother. A maior parte das mensagens foi de apoio. Parlamentares como o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) saíram em defesa do ator, Luciano Huck fez propaganda para uma “vaquinha virtual”, e o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) fez chamada de vídeo para saber se o ex-participante estava bem.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Ethel Maciel, epidemiologista e professora da UFES: “O presidente não foi em nenhuma cerimônia das vacinas, mas fez uma corrida quando foi inaugurar o centro de atletismo no Paraná. Prioridade?”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.