‘Sem reforma, podemos repetir a Grécia’, alerta Maia

‘Sem reforma, podemos repetir a Grécia’, alerta Maia

Coluna do Estadão

31 Julho 2017 | 05h30

SINAIS PARTICULARES – RODRIGO MAIA
ILUSTRAÇÃO: KLÉBER SALES

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que pretende retomar a discussão da Previdência assim que terminar a votação da denúncia apresentada pela PGR contra Michel Temer. Mesmo com resistências à proposta, Maia diz que “é necessário” aprovar mudanças na Previdência e alerta para o risco de a reforma ser posta de lado. “Se não fizermos os ajustes agora, corremos o risco de, daqui a dois anos, repetir o que ocorreu com a Grécia, em 2010, quando o país quebrou. Aí, não será possível pagar aposentadorias. A conta não fecha”, diz.

Como faz? O problema é que o clima político conturbado reduziu as chances de o governo somar votos para aprovar uma reforma que exige quórum elevado.

Sei não… Michel Temer ainda não se convenceu sobre ideia de enxugar a proposta e priorizar apenas a votação da idade mínima.

Investida. Na busca por mais votos para derrubar a denúncia contra Temer, o governo vai procurar a bancada do PSDB. Com 18 votos declarados contra Temer, o Planalto acha que pode virar de 3 a 5 votos. Aécio Neves vai ajudar.

Cofre seco. A baixa arrecadação do governo federal acendeu sinal de alerta em todas as áreas que dependem de repasses. Nos Estados que enfrentam seca já existe preocupação com o risco de interrupção do serviço de carros-pipa.

Pelotão. Dentro do guarda-chuva dos Ministérios da Integração e da Defesa, a Operação Carro Pipa é conduzida pelo Exército. Atende cerca de 870 municípios em situação de emergência. Ao todo, são contratados 6.865 “pipeiros” para abastecer 78 mil pontos.

Complicou. Em nota, o Exército reconhece que a mudança no modelo de repasse de recursos (vinha por MPs, agora são recursos orçamentários), feita em janeiro, “começou a gerar preocupação”.

Correndo atrás. O Exército diz que está fazendo gestões para garantir os repasses a tempo, junto à Integração Nacional e Planejamento. Mas admite que, “caso os recursos não cheguem com a tempestividade necessária”, “a operação terá de ser suspensa”.

Bateu na trave. O governo do Distrito Federal festejou a liberação de recursos do Fundo Constitucional, retidos desde o início do ano. Graças a isso, não atrasará o salário de julho.

Passando a tranca… Os problemas revelados pela Operação Carne Fraca fizeram com que o Ministério da Agricultura elaborasse programa de compliance e código de ética para servidores que cuidam da fiscalização sanitária.

…na porta. A proposta deverá ficar pronta até o fim de setembro.

CLICK. Em clima de campanha, o prefeito de Salvador, ACM Neto (à direita), participa de evento, em Jacobina, com Lúcio Vieira Lima.

Foto: Facebook Lúcio Vieira Lima

 

Surfando. Políticos governistas do Rio gostaram da ida de Michel Temer ao Rio para acompanhar a movimentação das Forças Armadas.

O que fizer ajuda. A avaliação é que a questão da segurança pública passou a ser dramática no Estado. E a presença de Temer mostra o interesse do governo numa solução.

Tô de colete. A nomeação de Sérgio Sá Leitão para a Cultura também foi elogiada pela bancada de parlamentares do Rio. Por ser do meio cultural, seu nome não foi criticado, ao contrário dos antecessores.

PRONTO, FALEI!

O espetáculo de horror em que se transformou a Venezuela encontra respaldo de partidos brasileiros. Lamentável”, SENADOR ÁLVARO DIAS (Podemos-PR), sobre o apoio dado pelo PT a Maduro.

 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

 

Mais conteúdo sobre:

Rodrigo MaiaReforma da Previdência