Sem indiciar Temer, PF aponta responsabilidade

Sem indiciar Temer, PF aponta responsabilidade

Coluna do Estadão

20 de junho de 2017 | 05h30

Foto: Dida Sampaio/Estadão

A Polícia Federal não pediu indiciamento do presidente Michel Temer no inquérito que investiga fatos delatados pelo empresário Joesley Batista, mas apontou responsabilidades. O plenário do Supremo Tribunal Federal ainda não definiu se a PF pode indiciar investigados com prerrogativa de foro. A discussão veio à tona a partir de questionamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), investigada na Lava Jato e alvo de indiciamento. Desde então, os delegados concluem os inquéritos apontando responsabilidades, sem formalizar o indiciamento.

Precedente. Gleisi foi indiciada por corrupção, acusada de receber R$ 1 milhão para sua campanha em 2010. O procurador-geral, Rodrigo Janot, concordou com o pedido dela para anular o indiciamento.

Sem surpresas. O ministro Edson Fachin, do STF, soube antes de o pedido ser oficializado que a PF pediria mais cinco dias de prazo para concluir parte do inquérito que investiga o presidente Michel Temer.

Só pensam nisso. Há uma verdadeira peregrinação de representantes de instituições financeiras pelos gabinetes do Congresso para saber se a reforma previdenciária passa ou não.

Problemão. A contabilidade de Aécio Neves para barrar, no Senado, eventual decisão do STF pela sua prisão pode ter uma baixa. O tucano Cássio Cunha Lima (PB) voltou a pedir licença médica após sofrer uma crise de labirintite.

Melhor não. Michel Temer tem sido aconselhado a não nomear o deputado André Amaral (PMDB-PB) para a Cultura.

Vespeiro. A avaliação é de que nomear parlamentar sem nenhuma afinidade com a área só vai servir para irritar o setor, que tem grande ressonância. O governo tem até 22 de junho para indicar outro ministro, mesmo que interino.

SINAIS PARTICULARES – RODRIGO MAIA
ILUSTRAÇÃO – KLÉBER SALLES

Meu garoto. César Maia disse que não aproveitou seu aniversário, domingo, para aconselhar o filho Rodrigo Maia sobre o período em que comandará o Planalto. “Já tem tempo que é ele quem me dá conselhos.”

Valeu paizão! “É claro que deu”, respondeu Maia rindo.

 

Na telona. O filme Polícia Federal – A Lei é Para Todos, que conta a história da Operação Lava Jato, começa a ser exibido nos cinemas no dia 7 de setembro. A data, que marca o feriado da Independência, foi escolhida a dedo.

Spoiler. Haverá pré-estreia do filme em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

Tem pra todos. O filme vai até a condução coercitiva de Lula. Os produtores começam semana que vem a escrever a sequência. O segundo filme contará até a delação de Joesley Batista.

 

Foto: Marcelo de Moraes/Estadão

CLICK. Sem sessão deliberativa, a Câmara não teve quórum, ontem, nem para abrir reunião de discursos. Sob efeito junino, só nove deputados deram presença.

Mestre-sala…Às voltas com a polêmica da redução de recursos destinados ao carnaval, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, aproveitou encontro com João Doria para reforçar sua polêmica posição.
…e porta-bandeira. Ao lado do prefeito de São Paulo, disse: “Não fomos candidatos das ilusões, também não seremos prefeitos das falsas promessas”.

Prazo no fim. Relator da LDO, Marcus Pestana admite que não será possível votar a proposta até 18 de julho, o que, pelo regimento da Casa, impediria o recesso parlamentar.

que… Há três anos o Congresso não vota a LDO dentro do prazo e, mesmo assim, houve recesso.

PRONTO, FALEI!

RODRIGO JANOT, Procurador-geral da República

“A sociedade está cansada. Pode levar tempo, mas os brasileiros saberão reconhecê-los e serão fortes para repudiá-los”, sobre os críticos das investigações.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Mais conteúdo sobre:

Michel TemerPF