Sem força-tarefa, MPF-PR diz que faltarão ‘braços’

Sem força-tarefa, MPF-PR diz que faltarão ‘braços’

Coluna do Estadão

29 de agosto de 2020 | 05h00

Procuradores federais do Paraná afirmam que não haverá estrutura suficiente no Estado para absorver processos da Lava Jato caso a PGR decida encerrar a força-tarefa da operação. Todos os 20 procuradores de ofícios (coordenadores) da região, exceto Deltan Dallagnol, subscreveram o documento. “Essa forma de atuação produziu e produz volume de trabalho de impossível absorção pela unidade de origem em sua estrutura tradicional”, diz trecho do documento. Augusto Aras deve decidir sobre a prorrogação da Lava Jato de Curitiba até 9 de setembro.

Aqui… O texto traz ainda dados importantes, de 30 de julho: toda a Procuradoria do Paraná tem 1.006 processos extrajudiciais ativos (inquéritos abertos, por exemplo), enquanto só a Lava Jato tem 538.

…não. Além disso, os 14 procuradores, sete exclusivos, mais 33 servidores representam 57% dos quadros da instituição no PR.

Pra conta. O documento é do dia 13 de agosto, duas semanas antes de o coordenador da força-tarefa, Dallagnol, pedir a Augusto Aras a prorrogação do grupo. Servirá como argumento a favor da Lava Jato.

Linha de… O ofício é endereçado à subprocuradora Luiza Frischeisen, do Conselho Superior do MPF. Ela e mais sete membros do colegiado assinaram ofício encaminhado a Augusto Aras defendendo a prorrogação das forças-tarefa, sem citar a de Curitiba.

…frente. A estratégia dos conselheiros é chamar a discussão para o colegiado, impedindo que ela seja controlada por Augusto Aras.

CLICK. Ao contrário de Jair Bolsonaro, que tem dito não querer apoiar ninguém no primeiro turno das eleições municipais, Eduardo Bolsonaro (ao centro) tem participado de reuniões com pré-candidatos nas eleições deste ano, como Bruno Engler (à esq.), do PRTB, que disputará em BH.

Reprodução/Instagram

Atalho. Com Wilson Witzel cada vez mais ameaçado, aliados de Eduardo Paes (DEM), pré-candidato à prefeitura do Rio, passaram a defender a antecipação das eleições para governador do Estado já em novembro deste ano. Porém, a tese beira o delírio.

Realidade. Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) refutam a possibilidade. Além de acharem que não há tempo hábil para viabilizar o impeachment de Witzel em todas as suas fases e trâmites, lembram que, em outra esfera, ele nem sequer foi afastado definitivamente pelo STJ.

Tamo… No discurso em que acusou a PGR de atuação política, Witzel falou de operações contra governadores, no plural. Buscou aproximação com outros que foram alvo da PF.

…junto? Não rolaram muitas manifestações públicas de apoio. Nos bastidores, porém, governadores criticavam seu afastamento via decisão monocrática.

Veja bem. A respeito da denúncia em si: até mesmo procuradores críticos à gestão de Aras e, especialmente, à de Lindôra Araújo disseram que a peça é robusta.

Apocalypse Now. As reações de Witzel até agora têm deixado claro que o governador está pintado para a guerra e não aceitará uma eventual derrota sem revidar contra adversários.

SINAIS PARTICULARES.
Wilson Witzel, governador afastado do Rio de Janeiro

Ilustração: Kleber Sales

Amigos? A desastrosa manobra de Ricardo Salles ao suspender ações de combate ao desmatamento ajudou a desgastar mais ainda a relação dele com Hamilton Mourão e agora também com Paulo Guedes. Segundo apurou a Coluna, o gesto foi visto como “chantagem” e tentativa de se colocar no papel de “vítima”.

BOMBOU NAS REDES! 

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Débora Diniz, antropóloga e professora da UnB: “Médico não é policial. A portaria do MS deturpa o sentido do cuidado médico e instaura uma relação de suspeição contra as mulheres”, sobre Ministério da Saúde obrigar médicos a acionar a polícia em caso de abuso sexual.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU CAIO SARTORI. 

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: