Se vier a ordem, Lula “será solto imediatamente”, diz delegado

Se vier a ordem, Lula “será solto imediatamente”, diz delegado

Andreza Matais

19 de dezembro de 2018 | 16h46

Sinais Particulares: Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente; por Kleber Sales

Na Polícia Federal, a orientação é soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se chegar uma ordem nesse sentido da juíza responsável pela execução da pena do petista. Segundo um delegado, Lula “será solto imediatamente” caso esse seja o entendimento da juíza Carolina Lebbos a partir da liminar do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo, que revogou a prisão após segunda instância. 

Para deliberar, a juíza precisa ser notificada pelo Supremo. Ela pode fazer questionamentos à Corte caso ache necessário, prolongando a sua decisão.

A avaliação na PF é que a decisão do ministro Marco Aurélio alcança também presos da Operação Lava Jato que cumprem a pena em regime domiciliar com tornozeleira eletrônica. É o caso, por exemplo, do empresário Marcelo Odebrecht. (Andreza Matais)