SBM Offshore retoma acordo de leniência com governo

SBM Offshore retoma acordo de leniência com governo

Coluna do Estadão

23 Maio 2018 | 05h30

Ministra-chefe da AGU, Grace Mendonça

A SBM Offshore reabriu as conversas com a Advocacia-Geral da União para oficializar um acordo de leniência. Operadora de plataformas para exploração de petróleo, a empresa holandesa admitiu ter pago milhões em propina para conseguir contratos com a Petrobrás. Executivos e advogados se reuniram ontem com a chefe da AGU, Grace Mendonça, quando pediram para retomar as negociações, suspensas em dezembro. O acordo para que a firma devolva aos cofres públicos R$ 1,2 bilhão estava quase fechado, mas foi suspenso por divergências.

Demorou, dançou. A leniência com a SBM Offshore era para ser a primeira fechada entre CGU, AGU e MPF, com aval do TCU. Mas por causa da interrupção, a empresa holandesa terá de esperar na fila. As tratativas com a Odebrecht pularam na frente e estão bem avançadas.

Combinado… Levantou desconfiança no MDB a resposta do presidente do partido, Romero Jucá, no lançamento de Henrique Meirelles ao Planalto, de que a campanha à Presidência “tem prioridade”. A bancada só aceita candidatura própria se o ex-ministro arcar com as despesas.

…não sai caro. O PR, de Valdemar Costa Neto, também impõe a mesma condição para lançar Josué Gomes ao Planalto. O partido não vai gastar um tostão dos fundos eleitoral e partidário com uma eventual campanha do mineiro.

Monólogo. Convocado para uma reunião com a cúpula do PR na terça, 29, em Brasília, Josué Gomes já avisou aliados que só vai ouvir. Não trará proposta. Responderá dúvidas, mas, sobretudo, quer saber o que o partido tem a oferecer.

Dada a largada… A equipe da campanha de Henrique Meirelles tenta convencê-lo a fazer aulas com uma fonoaudióloga e a trocar o figurino, considerado sóbrio demais. Meirelles usa roupa térmica por baixo do terno para evitar o calor, o que justifica usar pulôver no sertão nordestino.

Laços. Marcelo Odebrecht, ainda na prisão, deu depoimento para o livro O Carcereiro – O japonês da Federal e os presos da Lava Jato, de Luís Humberto Carrijo, que sai em julho.

SINAIS PARTICULARES: Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht; por Kleber Sales

Só chama na tristeza. A redução a zero da Cide sobre os combustíveis já provoca revolta nos governadores. A receita é compartilhada com Estados e municípios. No ano passado, para aumentar a arrecadação o governo elevou o PIS/Cofins, tributos que não são divididos com eles.

Tira o cavalo… Na disputa pela presidência do INSS, o MDB indicou Eduardo Flores. Porém, após ameaça do líder do governo, André Moura, de se rebelar em votações, o MDB deve retirar o nome.

CLICK. A youtuber Nina França, contratada pelo Planalto, se chama Karine Cruvinel. Em 2016, ela compartilhou post da deputada Jandira Feghali sobre “governo golpista”.

FOTO: INSTAGRAM

Com a palavra. Nina ganhou fama depois de entrevistar o presidente Temer e arrancar dele que assiste à série La Casa de Papel. Procurada, afirmou que interpreta uma personagem e está proibida de comentar.

Escondidinho. Entre as sugestões que chegaram ao Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições do TSE, estão o veto ao pagamento de anúncios e impulsionamento de conteúdo político em moeda estrangeira e a “hidden posts”, que são postagens direcionadas a um público específico.

PRONTO, FALEI! 

Ed Ferreira/Estadão

“Cerca de 70% das encomendas de empresas do Brasil passam pelas estradas. O recado dos caminhoneiros ao governo é claro: tem de conter os aumentos”, DO LÍDER DO PSB NA CÂMARA, DEPUTADO JÚLIO DELGADO (MG).

 

COM NAIRA TRINDADE. COLABORARAM ADRIANA FERNANDES E RAFAEL MORAES MOURA

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão