Saúde, por enquanto, dá sinal verde aos atos

Saúde, por enquanto, dá sinal verde aos atos

Coluna do Estadão

29 de fevereiro de 2020 | 05h00

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Apesar das teorias conspiratórias das redes sociais, há, sim, preocupação de autoridades de saúde do governo federal e dos Estados quanto às manifestações do dia 15 de março em defesa de Jair Bolsonaro e contra o Congresso. O próprio Henrique Mandetta já alertou sobre os riscos das aglomerações na transmissão do coronavírus. Por enquanto, porém, não está no horizonte recomendar à população não aderir aos atos. As incertezas quanto à doença e a polarização da sociedade exigem cautela redobrada, disse à Coluna uma dessas autoridades.

Sinal… “O Ministério da Saúde informa que, neste momento, não há evidências de circulação do vírus no País. Assim, não é possível afirmar que o Covid-19 será espalhado em manifestações”, diz nota da pasta enviada à Coluna.

…verde. O governo de SP, Estado com o maior número de casos suspeitos, também não pretende recomendar aos residentes na capital que evitem participar do ato na Paulista.

Fresh. Segundo apurou a Coluna, um dos atenuantes de riscos no caso dos atos é o fato de eles ocorrerem ao ar livre, em amplos espaços. Porém, ainda é preciso acompanhar com atenção a provável evolução do número de casos no País.

Aff. Uma das teorias conspiratórias propagadas nas redes diz que os atos do dia 15 foram convocados, na verdade, pela esquerda para espalhar o coronavírus no Brasil e, assim, desestabilizar o governo.

Deixa… Aliados de Dias Toffoli entenderam a resposta dele ao compartilhamento por Jair Bolsonaro do vídeo com críticas ao Congresso como uma forma de o ministro evitar dar palanque ao presidente e ao discurso de “golpe”.

…quieto. A interlocutores, porém, o presidente do STF demonstrou preocupação com a “militarização” do Executivo e com o motim dos policiais no Ceará.

Fora. Presidentes de diretórios do PSDB nas capitais, reunidos em Porto Alegre, decidiram não apoiar “arroubos autoritários que merecem ser repelidos por parte dos que têm apreço pelo regime democrático”, segundo nota do grupo.

CLICK. A empolgação carnavalesca de Tabata Amaral, junto com o namorado dela, João Campos, impressionou os pernambucanos. Os dois se divertiram no Recife.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Opa. A chegada do coronavírus teve impactos também na relação Executivo-Legislativo. Como Bolsonaro não estava plenamente satisfeito com as negociações da Economia e da articulação com o Congresso relativas ao Orçamento, o acordo pode ser revisto.

Opa 2. A senha foi dada pelo secretário executivo da Saúde, João Gabbardo dos Reis: o coronavírus pode gerar necessidade de reforço orçamentário. O presidente se reúne na segunda-feira com Davi Alcolumbre. Rodrigo Maia também será convidado a participar.

Sem chance. Se depender do Congresso, os policiais amotinados no Ceará não terão anistia penal. Parlamentares avaliam que o motim foge do que seria aceitável por causa do uso de máscaras e de armas pelos policiais e também pela depredação de viaturas.

Não conte comigo. Relator de projeto de lei que garante anistia a casos antigos de paralisações de policiais, o senador Major Olímpio (PSL-SP) diz que não dará suporte às tentativas de incluir no texto a anistia para os policiais do Ceará.

SINAIS PARTICULARES.
Major Olímpio, senador (PSL-SP)

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

BOMBOU NAS REDES!

Deputado Marcelo Ramos. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Marcelo Ramos, deputado federal (PL-AM): “A atitude antidemocrática do presidente da República exige uma atitude democrática do presidente da Câmara, e ele teve grandeza de fazer isso.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU PEDRO VENCESLAU

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.