Rosso lança candidatura pelo Facebook e revela proposta para criar museu da Chapecoense

Rosso lança candidatura pelo Facebook e revela proposta para criar museu da Chapecoense

.

Luiza Pollo

09 de janeiro de 2017 | 15h39

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Foto: Dida Sampaio/Estadão

 

Durante o lançamento de sua candidatura à presidência da Câmara pelo Facebook, o deputado Rogério Rosso, vestindo a camisa da Chapecoense, revelou que já conversou com a bancada do PSD para propor a criação de um museu em homenagem as vítimas do acidente que vitimou parte do time catarinense.

Dentre os temas debatidos durante o lançamento, Rosso garantiu que, se for presidente “uma vez formada, abre a CPI da UNE”.

Ele também explicou porque lançou a candidatura pela rede social: “Principal bandeira nos próximos dois anos é aproximar a Câmara da sociedade, por isso estou lançando a campanha pelas redes sociais, não existe forma mais democrática”.

Segundo Rosso, essa proximidade viria, inclusive, na escolha das pautas tratadas. “A questão do estatuto do Desarmamento é um exemplo, eu perguntaria: essa é uma agenda importante ou não?”, afirmou.  Dentre as críticas as atuais práticas está o fato da Casa ter virado “reativa”, já que, segundo ele, menos de 3% das leis aprovadas vêm dos deputados, sendo a maioria do Executivo. Ele também reclamou das votações feitas tarde da noite, que avançam madrugada a dentro. “A Câmara precisa voltar a ser protagonista”, completou.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

 

Tudo o que sabemos sobre:

Rogério Rosso

Tendências: