Reunião tem clima tenso entre Doria e Pazuello e acusação de censura

Reunião tem clima tenso entre Doria e Pazuello e acusação de censura

Marianna Holanda

08 de dezembro de 2020 | 13h46

Foto: Erasmo Salomão/MS

A reunião de governadores com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na manhã desta terça-feira, 8, foi marcada por um momento de tensão entre o general e João Doria. O governador chegou a acusar Pazuello de censura.

Desde o começo da reunião, o governador de São Paulo, que acompanha remotamente, pedia a palavra. Mas o ministro deu prioridade a quem estava presencialmente no encontro.

“Antes do início da reunião, pedi a palavra, ministro. Se é censura, ok, eu não falo”, disse Doria, irritado.

Pazuello retrucou: “Em momento algum, falei que era censura. O senhor que me interrompeu para falar”. “O senhor será chamado, com certeza. Tem todo o direito de se pronunciar”, disse o ministro. Quando terminou de falar, Pazuello perguntou aos governadores presentes se poderia passar a palavra para Doria, e eles concordaram.

Na sua fala, Doria repetiu o que já vinha dizendo: que o ministério está politizando a vacina. Pazuello disse que a Coronavac é do Instituto Butantã, não do governo de SP.

Como pano de fundo, o governador de São Paulo trava uma batalha política com o governo federal. Virtual adversário de Bolsonaro em 2022, ele já apresentou até calendário de vacinação da Coronavac, desenvolvida em parceria com o Butantã. Mas o ministério não sinaliza qualquer intenção de compra da vacina até o momento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.