Reunião do PDT termina em lágrimas e com Túlio Gadêlha dizendo que retira sua candidatura em Recife

Reunião do PDT termina em lágrimas e com Túlio Gadêlha dizendo que retira sua candidatura em Recife

Marianna Holanda

05 de março de 2020 | 12h58

Foto: Reprodução/Túlio Gadêlha

A reunião da bancada do PDT, na tarde de quarta-feira, 4, que elegeu suas novas lideranças na Câmara terminou com discussão, lágrimas e um anúncio inesperado: a desistência de Túlio Gadêlha na disputa da Prefeitura de Recife.

O encontro teve votação unânime para eleger Wolney Queiroz (PE) como o líder da legenda, no lugar de André Figueiredo (PE). O problema foi na escolha da liderança da minoria, que deve ficar neste ano com o PDT.

Gadêlha havia costurado apoio para o cargo, mas com Figueiredo entrando na disputa aos 45 do segundo tempo, e o penambucano acabou perdendo os votos prometidos. Além do ex-líder ter grande influência entre os colegas e apoio do presidente Carlos Lupi, deputados não quiseram entregar os dois cargos a parlamentares do mesmo Estado.

Nesse imbróglio, Gadêlha foi às lágrimas e pediu para que constasse na ata da reunião que retiraria sua candidatura à prefeitura de Recife.

A turma do deixa-disso tentou intervir, sem sucesso. Procurado para comentar, o deputado pernambucano não respondeu. Questionado pela Coluna se a candidatura do deputado à prefeitura de Recife está mesmo retirada, Lupi se limitou a dizer que “não”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.