Reunião da bancada do PSDB termina em bate-boca

Naira Trindade e Andreza Matais

31 de outubro de 2017 | 18h23

Foto: Clayton de Souza/Estadão

 

Uma reunião da bancada do PSDB na Câmara, nesta terça-feira, 31, terminou em bate-boca entre deputados. O impasse começou quando o presidente da legenda, senador Tasso Jereissati (CE), convocou os aliados para apresentar o plano de comunicação do PSDB para os próximos 40 dias. Logo no início da apresentação, os deputados Domingos Sávio (MG) e Paulo Abi Ackel (MG) questionaram a contratação da empresa Ideia Big Data, alegando que a mesma teria, no passado, produzido material contrário a tucanos.

O grupo comandado pelo publicitário Moriael Paiva foi o mesmo que fez a campanha do governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), com duros ataques ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e ao candidato tucano ao governo Pimenta da Veiga, além de Geraldo Alckmin, referente a investigação sobre merenda escolar.

Em meio à discussão, o grupo de marqueteiros deixou a reunião constrangidos. Os parlamentares continuaram o debate em clima exaltado. A gritaria das excelências era ouvida pelos corredores. Mas o clima ferveu mesmo quando o deputado Giuseppe Vecci (GO) perguntou a Tasso se ele era candidato à presidência do PSDB. Tasso se esquivou de responder, alegando não se tratar da pauta da reunião. A ala governista do partido também se retirou da sala em protesto aos marqueteiros. E disseram que contratá-los é o mesmo que “dormir com o inimigo”.

Já aliados de Tasso rebatem a confusão. Alegam ter se tratado de uma minoria de deputados dispostos a atrapalhar a reunião.

 

Tendências: