Resposta de general traça a linha amarela

Coluna do Estadão

07 de maio de 2019 | 05h00

A reação do general Villas Bôas aos comentários de Olavo Carvalho veio após se consolidar na caserna a avaliação de que Jair Bolsonaro tem concedido um tratamento ao ministro e também general Santos Cruz em muito semelhante ao dispensado a Gustavo Bebianno, demitido da Secretaria de Governo pelo presidente ainda em fevereiro. O tranco público de Villas Bôas no escritor foi entendido ainda como uma linha amarela assinalando o limite entre o que é aceitável e o que é inadmissível na relação entre os núcleos de poder do Planalto.

Tradução. Quem conhece Villas Bôas comparou o episódio ao tuíte dele na véspera do julgamento do habeas corpus de Lula no STF, quando ele disse que o Exército se mantinha “atento às suas missões institucionais”. Falou o que estava entalado nos quartéis.

Prestígio… A escolha de Evandro Valadão para o Tribunal Superior do Trabalho foi lida no meio jurídico como um indicativo de que a participação de Sérgio Moro na indicação do próximo procurador-geral da República será, na melhor hipótese para o ministro da Justiça, bastante reduzida.

…sob dúvida. Quando questionado, Moro diz que é cedo para opinar, já que a lista tríplice nem sequer foi definida. Mas, para quem acompanha a disputa, a percepção é de que a interferência nesse tipo de escolha será concedida a ele apenas quando for da conveniência de Bolsonaro.

Próximo passo. Bolsonaro prometeu à bancada da bala que editará a MP do recadastramento de armas ainda no primeiro semestre. Hoje deve assinar decreto que permite atiradores esportivos a andar com o artefato municiado.
Acabou… O entrevero domingo na convenção PSDB-SP (porque um grupo queria impedir a votação da ala Mulher do partido) acabou em representação na Comissão de Ética e até em boletim de ocorrência.

…mal. Todas as instâncias acionadas no dia ignoraram os apelos da ala prejudicada. A bancada feminina no Congresso se solidarizou com as paulistas. Só a senadora Mara Gabrilli não assinou a nota. Dizem que não foi localizada.

SINAIS PARTICULARES

Mara Gabrilli, senadora (PSDB-SP)

CLICK. Sobrinho de Jair Bolsonaro, Léo Índio (de barba) foi apresentado à equipe do gabinete do senador Chico Rodrigues, para o qual foi nomeado, no corredor do Senado.

Acabou… A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, cassou a aposentadoria do ex-servidor Gil Bueno de Magalhães. Um dos principais alvos da Operação Carne Fraca, deflagrada no ano passado, Gil foi condenado em primeira instância a sete anos de prisão.

…a mamata. A ministra adotou a linha tolerância zero. No despacho, Tereza Cristina proíbe ainda o ex-funcionário de retornar ao serviço público. O benefício da aposentadoria havia sido concedido a Magalhães no mês passado.

PRONTO, FALEI!

Joice Hasselmann, líder do governo no Congresso (PSL-SP): “Cabe ao governo defender a sua proposta. Se o Congresso quiser mexer, é do jogo. A gente não vai entregar sem lutar”, sobre manter Coaf no Ministério da Justiça

COM JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU RENATO ONOFRE

Tendências: