Resistência à reeleição de Alcolumbre diminui no Senado

Resistência à reeleição de Alcolumbre diminui no Senado

Coluna do Estadão

09 de agosto de 2020 | 05h00

Davi Alcolumbre. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

A pouco mais de sete meses das eleições no Congresso, o vento parece mesmo soprar com força nas velas do barquinho de Davi Alcolumbre (DEM-AP). A maioria dos 16 partidos com representação no Senado apoia (ou ao menos não apresenta resistência) à recondução do atual presidente, segundo relatos feitos à Coluna. Falta, agora, outra costura bastante complicada: o sinal verde do Supremo para tão arrojada manobra política. Em privado, aliados de Alcolumbre comemoram: o ministro Gilmar Mendes decidirá sobre a consulta do PTB.

Em boas mãos. Para os artífices da reeleição de Alcolumbre (Flávio Bolsonaro entre eles), Gilmar Mendes não possui aversão às movimentações parlamentares e entende a importâncias dos arranjos políticos.

A ver. Na avaliação do grupo, dificilmente o plenário reverterá uma decisão favorável a Alcolumbre.

A ver 2. Mendes decidirá sobre ação do PTB que tenta impedir, de antemão, a possibilidade reeleição.

Resistência. A oposição tenta ainda articular um nome no centro, mas tem muita dificuldade. Já o grupo Muda Senado minguou junto com o ex-ministro Sérgio Moro e há senadores que não temem mais a reeleição de Alcolumbre.

Resistência 2. No MDB, maior bancada, há ao menos três nomes “presidenciáveis” na Casa. O vice-líder da bancada e do governo, Márcio Bittar (AC) resumiu: “Se o Davi puder se reeleger, a parada está resolvida. Se não, aí terá disputa na bancada”.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro, presidente da República

Kleber Sales

Assim falou… O Brasil bateu a marca dos 100 mil mortos pela covid-19, uma vergonha para todo o País, especialmente, porém, para o poder público e seus representantes em turno que por omissão, falta de empatia com os semelhantes ou cinismo político, ajudaram a ampliar a tragédia.

…Jair Bolsonaro. No futuro, os livros de história registrarão aquela que até agora é a expressão máxima do descaso: “E daí? Lamento, quer que eu faça o que?”, perguntou o presidente Bolsonaro, em 28 de abril de 2020, quando questionado sobre a pandemia e a escalada das mortes.

CLICK. O ministro das Comunicações, Fábio Faria, vai aproveitar o Dia dos Pais com os três filhos, Jane (à dir.), Senor e Pedro, e a esposa, Patrícia Abravanel.

Coluna do Estadao

Onde está… Com o auxílio emergencial e a popularidade de Bolsonaro em viés de alta no Nordeste, o PP não teme mais os efeitos de seu distanciamento do o lulismo na região. Pesquisas do partido no interior do Piauí mostram uma aprovação alta de Bolsonaro.

… Lula? O governador do Piauí, Wellington Dias, também está bem posicionado nelas, mas a rejeição ao petista é maior do que a de Bolsonaro. Para dirigentes do PP, um dos motivos para isso é que a perspectiva de poder do PT no cenário nacional vem diminuindo.

Olha só. Sondagem espontânea feita em redes sociais pelo grupo bolsonarista República de Curitiba apontou um novo nome para a Prefeitura de SP: Sérgio Lima, do Aliança Pelo Brasil, hoje filiado ao PRTB.

Alerta. Do jornalista Ricardo Gandour, que está lançando, fruto de sua pesquisa, Jornalismo em Retração, Poder em Expansão (veja abaixo): “O jornalismo não pode se enfraquecer como instância medidora numa democracia”.

 

BIBLIOTECA POLÍTICA – Lançamentos

Os engenheiros do caos,
GIULIANO DA EMPOLI (EDITORA VESTÍGIO)
Livro trata da influência das fake news, teorias da conspiração e algoritmos nas eleições.

Reprodução/Vestigio

Jornalismo em Retração, Poder em Expansão
RICARDO GANDOUR (EDITORA SUMMUS)
Obra reforça importância do jornalismo e reflete sobre modelos de sustentação financeira

Reprodução/
SUMMUS

COM REPORTAGEM DE MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: