Relator encerra investigação sem apontar autor de voto misterioso para presidência do Senado

Relator encerra investigação sem apontar autor de voto misterioso para presidência do Senado

Juliana Braga

19 de junho de 2019 | 18h59

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

 

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) protocolou nesta quarta-feira, 19, o pedido de arquivamento da sindicância sobre o voto a mais na eleição para a presidência do Senado. Em fevereiro, a primeira tentativa de votação foi anulada porque, ao abrir a urna, foram identificados 82 cédulas, sendo que há apenas 81 senadores. O pleito foi anulado e um segundo acabou com a desistência de Renan Calheiros (MDB-AL) e a eleição de Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Segundo o parlamentar relator da investigação, não é possível ter certeza plena da ocorrência de dolo. No relatório, ao qual a Coluna teve acesso, ele justifica que as imagens são inconclusivas. “Infelizmente não foi possível obter imagens de todos os senadores votantes que mostrassem, com clareza cristalina, o momento do voto dado com o devido envelope oficial”, afirma.

Com o argumento de que a penalidade para a fraude seria grave, ele encaminha ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o pedido de arquivamento. “Sendo assim, muito embora as imagens pudessem sugerir com mais ênfase a participação de algum senador, penso que a gravidade da pena, que poderia chegar até à cassação do mandato, nos impõe a exigência de mais do que uma leve ou forte suspeita, mas de uma certeza plena da ocorrência do dolo, estando em jogo o valor máximo da democracia que é a soberania do voto popular, expresso pela vontade dos eleitores”, pontua. (Juliana Braga)

Tendências: