Reforma mantém MDB na órbita governista

Reforma mantém MDB na órbita governista

Coluna do Estadão

28 de julho de 2020 | 05h00

Foto: Gabriela Biló / Estadão

A saída do MDB do Centrão foi mais um passo da sigla em busca de reposicionar sua imagem e fincar bandeira no meio-campo do atual jogo político-partidário brasileiro, comandado por Jair Bolsonaro numa ponta e por Lula na outra. Como a principal agenda dos emedebistas é a aprovação da reforma tributária, de preferência, lastreada na PEC 45, o movimento de independência não significa ruptura programática com o Planalto. Quem conhece o partido por dentro diz: neste momento, o MDB precisa tanto do governo quanto o governo dos emedebistas.

Meta. A direção nacional do MDB, comandada por Baleia Rossi (SP), quer trocar o Centrão pelo “centro” e se afastar da pecha de fisiológica. Seu novo slogan: “Ponto de Equilíbrio”. Ou seja, nem oposição a Bolsonaro nem adesão total ao governo.

Bandeira. Na quarta-feira, Roberto Padovani, economista do Banco Votorantim, abre série de palestras do MDB dentro da nova perspectiva do partido de se firmar como responsável pelas grandes reformas desde Michel Temer.

SINAIS PARTICULARES.
Paulo Guedes, ministro da Economia

Pergunta lá. O apelido que Jair Bolsonaro deu ao ministro Paulo Guedes foi repaginado pelo Congresso para os novos tempos de reforma tributária: “Imposto Ipiranga”.

Dias de… A cena de aglomeração no Congresso, quando foi apresentada a proposta do governo de reforma tributária na semana passada, causou espanto em Brasília. Pois bem: questionado, o Senado não informa quantos parlamentares, servidores ou terceirizados apresentam sintomas ou foram confirmados.

…luta. Já a Câmara dos Deputados, até o momento, registrou oficialmente 72 casos de funcionários e servidores que testaram positivo para covid-19. Entre parlamentares, apenas dez comunicaram sintomas e dois confirmaram ter a doença.

CLICK. O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) fez homenagem a Marielle Franco, vereadora assassinada no RJ em 2018. Se estivesse viva, faria ontem 41 anos.

Na miúda. Cobrado por colegas de farda sobre o fato de sua filha quase ter sido nomeada para um cargo na ANS, Braga Netto insiste que não houve pedido de cargo ou indicação de sua parte. Ela teria procurado emprego e recebido ofertas, a que preferiu “calhou” de ser a da agência. Até ontem o ministro não havia se manifestado publicamente.

Pera… A necessidade de impor limites ao número de habeas corpus (HC) em São Paulo, conforme defendeu o procurador de Justiça Saulo de Castro Abreu Filho, na Coluna, é contestada por advogados criminalistas.

…lá. Para Fernando Gardinali e José Coelho, sócios do escritório Kehdi & Vieira Advogados, na situação atual de pandemia, estranho seria se não houvesse o aumento de impetrações de habeas corpus.

Outro lado. A população carcerária é obrigada a lidar com dois fatores incompatíveis, a superpopulação (165% de ocupação) e com a recomendação da OMS de distanciamento social para conter o avanço da covid-19, dizem os advogados.

Pinga fogo. Augusto Aras será sabatinado hoje, às 19h, pela elite dos advogados do País. Em live do grupo “Prerrogativas”, o PGR será questionado, entre outros pontos, sobre a Lava Jato e o “lavajatismo” de membros do MPF.

Escolha. O advogado Marcos da Costa, que foi presidente da OAB paulista por seis anos, será o candidato do PTB a prefeito de São Paulo.

PRONTO, FALEI!
Elena Landau, economista: “Nunca houve um ambiente tão favorável para a reforma tributária ampla. Por que deixar passar essa oportunidade?”, sobre as negociações no Congresso.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.