Reação ao AI-5 furou a bolha da polarização

Reação ao AI-5 furou a bolha da polarização

Coluna do Estadão

02 de novembro de 2019 | 05h00

Crédito: Eduardo Bolsonaro

Governistas se alarmaram com as repercussões da polêmica de Eduardo Bolsonaro sobre um “novo AI-5”. Até agora, eles avaliavam que as controvérsias alimentavam a polarização e as reações negativas vinham sempre de quem já não simpatizava com Jair Bolsonaro. A mais recente, no entanto, repercutiu mal entre eleitores bolsonaristas, e isso foi percebido no termômetro preferido do clã: as redes sociais. Não à toa, Jair Bolsonaro entrou em campo para tentar minimizar os efeitos. Em entrevista, disse que o filho “03” estava “sonhando”.

Nos extremos. A última vez em que aliados se preocuparam com o fato de manifestações afetarem apoio dentro do seu nicho foi no primeiro ato pela Educação, no início do ano. No segundo, ficou clara contaminação da pauta “Lula Livre”.

Xiii. Bolsonaro comentou com auxiliares próximos que o timing da declaração foi ruim. Ele comemorava a reviravolta no caso do depoimento do porteiro na investigação da morte de Marielle Franco. Acha que a mudança de rumos o colocou na posição de “vítima”.

CLICK. Eduardo Bolsonaro publicou cartazes da feira de arte independente de Brasília, Motim, como se fossem um chamado a manifestações: “Alguma repercussão disso?”. 

Reprodução/Instagram Bolsonarosp

Métricas. No Judiciário, a percepção é de que Bolsonaro não reagiu por causa da gravidade das declarações e, sim, pela repercussão nas redes. A avaliação é a mesma no vídeo do leão.

Quieto. O silêncio de Toffoli foi interpretado por colegas como forma de não atiçar os apoiadores digitais de Bolsonaro às vésperas do julgamento sobre a prisão em segunda instância.

No foco. Juscelino Filho (DEM-MA), que definirá se o processo contra Eduardo no Conselho de Ética andará ou não, tem outra pauta prioritária do governo nas mãos: é o relator do projeto de lei que altera o Código Brasileiro de Trânsito.

SINAIS PARTICULARES.
Juscelino Filho, deputado federal (DEM-MA)

Kleber Sales

2020… Destituído o grupo de Eduardo Bolsonaro do PSL municipal de SP, a Nacional conseguiu desbloquear na Justiça o CNPJ do diretório – enrolado por problemas nas contas antigas.

…é logo ali. Esse é o primeiro passo para nomear a nova diretoria. O nome cotado pelo grupo é o de Joice Hasselmann, candidatíssima à Prefeitura de SP.

Calma… Apesar do otimismo de Rodrigo Maia para avançar, nos dois meses restantes do ano, a reforma tributária e administrativa, parlamentares admitem que só será possível com um rolo compressor.

…galera. A primeira ainda encontra resistência – consenso só na simplificação de impostos. A segunda nem sequer foi previamente debatida e enfrentará lobby pesado dos servidores.

Reação. O deputado estadual Campos Machado (PSDB) criticou o convite feito pelo presidente do diretório municipal, Fernando Alfredo, para Geraldo Alckmin concorrer a vereador. “Só pode ter partido dos que desconhecem a palavra lealdade”, afirmou.

Jantar… A Confederação Israelita do Brasil (Conib) realiza hoje seu jantar de gala em São Paulo com um time estelar do poder político: Alexandre de Moraes, os senadores José Serra e Jacques Wagner e as deputadas Joice Hasselmann e Tabata Amaral são algumas das lideranças confirmadas.

…e palestra. Amanhã, Luís Roberto Barroso fala com a comunidade dentro da convenção anual da Conib na Hebraica paulista.

PRONTO, FALEI!

Marcos Pereira. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Marcos Pereira, vice-presidente do Republicanos: “Atentar contra a democracia é crime, previsto na Constituição. Agora é hora de investir no bom senso e no diálogo”, sobre a declaração de Eduardo Bolsonaro.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Acompanhe nas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroEduardo BolsonaroAI-5

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.