Ramos pretende contar com ‘convicção’ de Guedes em comissão

Ramos pretende contar com ‘convicção’ de Guedes em comissão

Alberto Bombig

28 de abril de 2019 | 05h00

O ministro da Economia, Paulo Guedes, autor da reforma da Previdência

O presidente da Comissão Especial da Previdência na Câmara, Marcelo Ramos (PR-AM), gostaria de contar com a presença (e a verve) de Paulo Guedes logo na  largada dos trabalhados do colegiado. O deputado tem certeza de  que o ministro, único a defender a reforma com plena convicção e total coragem  no primeiro escalão federal até agora, ajudará na luta contra a retórica da oposição de que nem o próprio governo Bolsonaro acredita na proposta de mexer nas aposentadorias. Na CCJ, opositores deitaram e rolaram quando a discórdia  imperou.

Pode vir. Ramos deve se encontrar com Rodrigo Maia (DEM-RJ), com o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) e com técnicos que o auxiliarão no colegiado na terça-feira. No mesmo dia, pretende ligar para o ministério para combinar uma data da visita de Guedes.

Maracujina. O temperamento mercurial de Guedes, apontado por muitos como o mais preparado ministro, é o único fator de risco da operação. Mas o sentimento é de que ele está mais “cascudo” para enfrentar provocações.

Maracujina 2. Para Ramos, será sem tchutchuca e tigrões. Esses episódios, na opinião dele, são evitáveis. “Criaremos um ambiente de disputa política dura, mas sadia e respeitosa.”

Termômetro. Na largada dos trabalhados, a expectativa dos governistas da Comissão Especial é de que a proposta navegue em águas agitadas, mas siga seu curso rumo ao plenário, se o governo conseguir manter o Centrão em paz.

Cadê?. Até o final do trâmite, porém, avaliam os governistas, o Planalto terá de sentar na mesa para “conversar”. Um presidente de partido lembra que já se passaram três semanas desde que ele deixou o palácio com a promessa de criação de um conselho e de reuniões quinzenais.

Problema… As trocas públicas de farpas entre Carlos Bolsonaro, um dos filho do presidente, e o vice-presidente, Hamilton Mourão, só dão um sinal para o Congresso: de que os núcleos de poder no coração do governo não se entendem.

… deles. Felizmente, avaliam líderes e dirigentes do Congresso, isso é briga interna e nada tem a ver com o Parlamento. Pelo menos até agora. O importante é preservar Rodrigo Maia.

Endurecimento. A ministra Damares Alves (Família) vai lançar o novo Estatuto da Criança e do Adolescente em 8 de maio. A idade mínima para viagem de desacompanhado sem autorização dos pais será elevada de 12 para 16 anos.

Heart breaker. O objetivo é desestimular a fuga de casais jovens de namorados que não têm aprovação dos pais ou dos responsáveis.

Requerimento. O PSOL quer que Damares explique mudanças na Comissão da Anistia, inclusive em processos já aprovados.

Pop. A escolha de Kim Kataguiri (DEM-SP) para relatar o projeto que limita o licenciamento ambiental tem um motivo primordial: seu quase meio milhão de seguidores no Twitter.

Apoio. A equipe de Sérgio Moro está satisfeita com o desempenho do ministro no Twitter. Apontam o diálogo direto dele com internautas como um dos motivos para Rodrigo Maia antecipar a tramitação do pacote anticorrupção, conforme revelou a Coluna.

CLICK. Apesar de não ter sido convocado oficialmente, o Exército monitorou com câmeras o acampamento e o protesto dos povos indígenas na Esplanada anteontem.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Tendências: