Ramagem ainda mais longe de assumir a PF

Ramagem ainda mais longe de assumir a PF

Coluna do Estadão

23 de dezembro de 2020 | 05h00

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A suspeita de utilização da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para auxiliar a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso da “rachadinha” já acarreta uma primeira consequência: enfraquece a tentativa de emplacar Alexandre Ramagem, diretor da Abin, na Polícia Federal. Membros do primeiro escalão do governo avaliam que, mesmo se ficar provado que não houve utilização da agência, o estrago está feito. A ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia determinou a abertura de investigação do caso pela PGR.

Bem que… Antes do episódio, revelado pela revista Época, já havia defesa no Planalto da substituição do diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza, por Ramagem.

…se quis. Essa troca ocorreria depois da conclusão do inquérito sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF, prorrogado pelo STF por mais 90 dias.

Só elogios. No Ministério da Justiça, a quem a PF é subordinada, Rolando é elogiado. A polícia bateu recorde de apreensão de bens oriundos do tráfico de drogas neste ano.

Pegou mal. A interlocutores, o senador Flávio Bolsonaro lamentou a prisão do aliado e correligionário Crivella, apesar de tê-la visto como espetaculosa.

Consequência. O fato pode acabar acelerando a ida do presidente Jair Bolsonaro (e do senador) para uma outra legenda.

Ligação. A prisão de Crivella, contudo, não significa um afastamento do partido da gestão Bolsonaro. A relação, segundo governistas e a alta cúpula da legenda, é maior do que os impactos da operação de ontem.

Eu aqui! O presidente do Republicanos, Marcos Pereira, segue cotado para assumir um ministério em 2021.

A pandemia… O deputado Osmar Terra (MDB-RS), que chegou a ser considerado para a Saúde, “previu” em abril que a pandemia da covid-19 começaria a arrefecer no País no final do mês.

…em ilustrações. Como se pode perceber, a previsão passou muito longe. Nesta terça-feira, 22, o Brasil atingiu a marca de 188 mil mortos, e os números continuam subindo…

SINAIS PARTICULARES.
Osmar Terra, deputado federal (MDB-RS)

Fuén. Governadores trabalharam, até o último segundo, pela aprovação da medida provisória que libera recursos para a participação do Brasil em consórcio internacional pela compra de vacinas. Mas a análise da MP, que está no Senado, ficou para fevereiro.

Tentei. O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), chegou a pedir a votação da medida ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, mas sem sucesso. “O texto que saiu da Câmara abre caminho para que as vacinas cheguem mais cedo ao Brasil”, afirmou Dias. Como a Coluna havia antecipado, deputados articulavam para que a Anvisa aprovasse de forma mais rápida vacinas já ratificadas por ao menos uma autoridade sanitária internacional reconhecida.

CLICK. Preso e solto quatro vezes, o ex-governador do RJ Anthony Garotinho agora ajuda na divulgação da produção de panetones natalinos de sua esposa, a também ex-governadora do Rio Rosinha Garotinho.

Coluna do Estadão

Novidade. O RenovaBR, escola de formação política, lança em 13 de janeiro o podcast “Cidades Incríveis”, de conteúdos que fazem parte do dia a dia da gestão de prefeitos e vereadores. Serão dez episódios. O primeiro convidado será Alberto Borges, sócio-diretor da Aequus Consultoria e criador do portal Compara Brasil.

Bancada. O movimento Livres ganhou dois novos integrantes: a vereadora de SP Janaína Lima (Novo) e o deputado federal Eduardo Cury (PSDB-SP). Eles se somam ao grupo de 24 parlamentares no País.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Reprodução/Túlio Gadêlha

Túlio Gadêlha, deputado federal (PDT-PE):Mais um amigo do presidente envolvido em ilicitudes. Investigado por transformar a prefeitura do RJ em um “QG da propina”, Crivella foi preso. Será que Bolsonaro só tem o dedo podre pra escolher amigos ou é uma sincera conexão de caráter? Espero que o MP vá a fundo pra descobrir.”

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA) E MARIANA HAUBERT. COLABOROU ELIANE CANTANHÊDE.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.