PT propõe tirar Marinho por apoio do PSB a Lula

PT propõe tirar Marinho por apoio do PSB a Lula

Coluna do Estadão

12 Julho 2018 | 05h30

Márcio França. Foto Foto: Flavio Corvello/Futura Press/Estadão

O PT propôs ao governador de São Paulo, Márcio França (PSB), que disputa a reeleição, a retirada da candidatura de Luiz Marinho ao Bandeirantes em troca do apoio nacional do PSB à campanha de Lula ao Planalto. A aliados, França diz não ter aceitado o acordo. Motivo: ele quer distância do PT. Em SP, ao contrário do Nordeste, esse apoio atrapalha França, que tem como adversário o antipetista João Doria. Até o governador Paulo Câmara tentou ajudar a convencer França para tirar Marília Arraes (PT) do caminho da sua reeleição em Pernambuco.

Me dê motivos. A resistência de França a apoiar a campanha nacional do PT esbarra também no presidenciável Geraldo Alckmin. Ao se aliar a Lula, França descumpriria seu compromisso de apoiar Alckmin.

Matemática. A estratégia do Centro para apoiar o presidenciável Ciro Gomes (PDT) ao Planalto depende do PR. Se o partido de Valdemar Costa Neto se aliar a DEM, PP, PRB e SD, Ciro será o nome do Centro. Se o PR não entrar no grupo, dá Geraldo Alckmin.

Cobiçado. Valdemar contou aos líderes do Centro, em reunião ontem, ter recebido do PT a proposta de lançar Josué Gomes (PR) como seu candidato ao Planalto caso Lula não consiga concorrer. O dono do PR esteve ontem com Jaques Wagner, em Brasília.

Boi na linha. O deputado Bruno Araújo (PSDB) foi desautorizado depois de comunicar Alckmin que teria acertado em Pernambuco sua candidatura ao Senado. Horas depois, Armando Monteiro, soltou nota dizendo que não tinha sido consultado. “Não sabia que se fechava chapa pelos jornais”, declarou.

Quem mandou. A cúpula do PT admitiu ter sido um “erro jurídico” a ação dos três deputados petistas de pedir a soltura de Lula. Avaliam que, apesar do ganho político, o PT queimou uma etapa importante com a Justiça e pode perder o apoio do ministro Dias Toffoli.

Nova tentativa. O ministro Gustavo Rocha (Direitos Humanos) embarca sábado para os EUA, onde se reúne com representantes da ONU e OEA para tentar resolver o impasse das crianças separadas dos pais

SINAIS PARTICULARES. Gustavo Rocha, ministro de Direitos Humano; por Kleber Sales

Teu passado… Mais cotado a vice do deputado Jair Bolsonaro (PSL) ao Planalto, o senador Magno Malta (PR) já disse que não iria “conviver com o desequilíbrio” de Bolsonaro. O episódio se deu em 6 de maio de 1999, durante a CPI do Narcotráfico na Câmara.

…te condena. À época, Malta ameaçou retirá-lo da audiência e ainda deliberou para que os membros da CPI votassem representação de quebra de decoro pelo comportamento do deputado. Malta disse também que estava “envergonhado” pelo colega.

CLICK. A três meses das eleições, o senador Aécio Neves (PSDB) enviou para eleitores mineiros revista enaltecendo seu mandato e disse trabalhar pela “volta de investimentos”.

Naira Trindade/Estadão

Olha eu aqui. O ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP) mandou mensagem aos aliados do partido colocando-se à disposição para ser candidato à Presidência da República. “Peço que avaliem este gesto.”

Na fila. Os acordos de leniência que estão mais adiantados na CGU e AGU são da Andrade Gutierrez e da SBM Offshore. Hoje, há 37 comissões para tratar as novas propostas.

PRONTO, FALEI!

“O Brasil precisa ter responsabilidade, mas deve reconhecer que o teto de gastos inviabiliza qualquer presidente em 2019”, DO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROCURADORES DA REPÚBLICA, JOSÉ ROBALINHO, sobre o limite orçamentário do MPU.

NAIRA TRINDADE (editora interina), COM REPORTAGEM DE JULIANA BRAGA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadão