PSDB sem candidato a presidente em 2022?

PSDB sem candidato a presidente em 2022?

Coluna do Estadão

28 de março de 2021 | 05h00

João Doria. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

A “piscada” de João Doria no duelo interno do PSDB rumo à eleição presidencial de 2022 fez surgir nas bancadas do partido um movimento, ainda embrionário, para que os tucanos, pela primeira vez na sua história, abram mão de concorrer ao Palácio do Planalto. Por ora, a possibilidade de as candidaturas parlamentares do PSDB ficarem com todos os recursos eleitorais públicos do partido ajuda a germinar a sementinha. Se ela brotará ou não, só o tempo e as condições atmosféricas da política darão a resposta. Com o regador na mão está Aécio Neves.

Nem… Após a reentrada de Lula na cena eleitoral, também ganha corpo a ideia de que um novo fracasso presidencial tucano, como o ocorrido em 2018, pode aniquilar o PSDB.

…pensar? O remédio amargo seria aderir a um “bloco de centro” na disputa presidencial e liberar as coligações regionais. As duras condições sanitárias e econômicas do Rio Grande do Sul também são um complicador para Eduardo Leite, o outro presidenciável.

Difícil? Mesmo com condução na direção certa do combate à covid-19 em São Paulo, os passos de Doria na política interna do PSDB fizeram o governador de São Paulo perder força.

Piscou. A afirmação de Doria ao Estadão de que pode concorrer à reeleição abriu de vez a porteira para a debandada de seus apoiadores fora de São Paulo.

Para lembrar. Numa reunião tensa no Palácio dos Bandeirantes, aliados do governador paulista surpreenderam o presidente do PSDB, Bruno Araújo, ao propor que Doria assumisse o comando do partido.

Juntos. A ofensiva de Doria sobre Aécio Neves, na mesma ocasião, também acabou por motivar uma onda de solidariedade ao deputado mineiro, enrolado em processos na Justiça.

Timing é tudo. A velocidade com que Doria se lançou na disputa pré-eleitoral também incomodou os tucanos. Nas palavras de um experiente deputado nordestino, o caçador não pode ultrapassar a caça.

Highlander. Ao fim e ao cabo, Doria ajudou no renascimento de seu principal adversário interno, o deputado federal Aécio Neves, hoje o grande articulador nacional tucano.

SINAIS PARTICULARES.
Aécio Neves, deputado federal (PSDB-MG)

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Não… Diante do pior momento da pandemia, a força do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais está no menor nível desde a sua posse. Apenas 10,8% das menções são positivas.

…está… O levantamento foi feito pela agência de análise de dados e mídias MAP em um universo de 1,4 milhão de posts publicados.

…sendo fácil. O recuo da popularidade de Bolsonaro acontece ao mesmo tempo em que o apoio ao isolamento social como medida necessária para conter a disseminação do vírus aumentou de 68% para 86% na opinião pública brasileira.

CLICK. Vacinação em posto de “drive-thru” em Trindade (PE), município com cerca de 31 mil habitantes. Agora, Pernambuco começou a vacinar todos a partir de 65 anos.

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

Na… O  Pará foi o primeiro Estado a começar a vacinar  profissionais da Segurança Pública (policiais civis, militares, federais e agentes penitenciários).

…frente. O planejamento de vacinação divulgado pelo Ministério da Saúde gerou desgaste para o Planalto em  Estados: detentos estão na frente dos agentes carcerários  e das forças de segurança e salvamento.

PRONTO, FALEI!

Natalia Pasternak. FOTO: REPRODUÇÃO

Natalia Pasternak, presidente do Instituto Questão de Ciência: “A vacina 100% brasileira funciona assim: os americanos desenvolvem, os vietnamitas e tailandeses arranjam os voluntários, e a gente entra com o ovo!”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.