PSDB pede cassação de Cid Gomes e Camilo por delação da JBS

Coluna do Estadão

18 de setembro de 2018 | 16h43

 

A coligação do candidato a governador do Ceará General Theophilo (PSDB) pediu a cassação do registro de candidatura de Cid Gomes e do governador Camilo. Cid Gomes concorre a uma vaga no Senado e, Camilo, à reeleição. Segundo a representação do General Theophilo, a delação da JBS comprova que houve abuso de poder político e econômico no candidatura dos dois em 2014.

Em seu acordo de delação premiada, o empresário Wesley Batista relata ter doado R$ 20 milhões para a campanha de Camilo Santana como contrapartida pelo pagamento de R$ 110 milhões de ressarcimento de crédito a uma empresa do grupo JBS por parte do governo do Ceará, à época, comandado por Cid Gomes.

Os advogados do candidato tucano alegam que, apesar de os fatos terem ocorrido em 2014, a eleição de 2018 é o primeiro pleito após a revelação das provas, o que legitimaria a ação.

“A primeira consequência da utilização de dinheiro, irregularmente obtido na campanha, é o irremediável comprometimento da credibilidade das eleições. Esse descrédito é agravado pela astúcia dos envolvidos, ocultando da comunidade política a chocante e desconcertante ilicitude. Realmente, o abuso de poder, a extorsão utilizada para obter a doação foi ocultada, sem possibilidade de questionamento, por longo período após a realização do pleito”, argumentam.

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará ainda irá analisar se aceita a ação.

A assessoria de comunicação do governador Camilo Santana disse que a ação é “completamente infundada” com o “único objetivo de gerar notícia”. Cid Gomes não retornou o contato.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao