Proximidade de Ferreira com escolas de samba sempre impressionou PT

-

Vera Rosa

04 de julho de 2016 | 21h16

10653646_819290541457240_6409666835703601569_n

 

O ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira, alvo da Operação Abismo, sempre impressionou os companheiros por sua proximidade com as escolas de samba gaúchas. Em várias festas do partido, passistas da União da Vila do Iapi, de Porto Alegre, desfilaram com desenvoltura.

Em dezembro de 2009, por exemplo, na largada da comemoração de 30 anos do PT e com Dilma fazendo discurso de candidata, a Vila do Iapi deu um show. Amigo de Ferreira, José Dirceu — já abatido pelo escândalo do mensalão – foi um dos homenageados daquela noite.

A investigação revelou que Ferreira usou escolas de samba para lavar dinheiro do esquema de corrupção em licitações na Petrobrás. A “Estado Maior da Restinga” foi uma das que receberam recursos, incluindo a sua rainha da bateria. O criminalista José Roberto Batochio, advogado de Ferreira, diz que ‘não é verdade que ele tenha recebido propinas’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.