Presidente do Banco Central não quer ‘economês’ na ata do Copom

Presidente do Banco Central não quer ‘economês’ na ata do Copom

Ilan Goldfajn determinou que não sejam usados termos complexos

Coluna do Estadão

06 de agosto de 2016 | 06h30

Ilan Goldfajn. Foto: Hélvio Romero/Estadão

Ilan Goldfajn. Foto: Hélvio Romero/Estadão

Se a última ata do Copom já foi redigida em “português”, a próxima promete ser mais clara ainda. O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, determinou que nenhum termo econômico complexo acompanhe mais o documento. Na última, deixaram escapar “cauda”, palavra usada para designar eventos com probabilidade baixa.

Siga a Coluna do Estadão:
No Twitter: @colunadoestadao
No Facebook: www.facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Tradutor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.