Presidente da Comissão da Anistia testa positivo para covid-19 e julgamento de Dilma é adiado

Presidente da Comissão da Anistia testa positivo para covid-19 e julgamento de Dilma é adiado

Marianna Holanda

27 de julho de 2020 | 21h46

Foto: Alex Silva/Estadão

O pedido de indenização da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) seria finalmente votado na sessão desta quinta-feira, 30, na Comissão da Anistia. Mas, novamente, foi adiado.

Desta vez, por um motivo realmente de força maior: o presidente do colegiado, João Henrique Nascimento de Freitas, testou positivo para covid-19. Era o primeiro item da pauta de 13 itens.

A defesa de Dilma não chegou a pedir o adiamento da sessão, mas sinalizou que o faria, uma vez que a advogada da ex-presidente, Paula Febrot, é do grupo de risco e a sustentação é oral. 

A solicitação da ex-presidente foi feita em 2002, mas a tramitação ficou suspensa, a pedido dela própria, enquanto fosse ministra e presidente. Em 2016, durante o processo de impeachment, retomou o caso.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.