Por Previdência, PR pode comandar Saneamento

Por Previdência, PR pode comandar Saneamento

Luiza Pollo

05 Janeiro 2018 | 05h30

O Planalto negocia a entrega da Secretaria de Saneamento, do Ministério das Cidades, ao PR em troca de apoio na votação da reforma da Previdência. Comandada por Henrique Pires, ligado ao MDB, a cadeira seria transferida a uma indicação da sigla de Valdemar Costa Neto. Em contrapartida, a bancada de 37 deputados entregaria os votos para mudar as regras da aposentadoria. O governo também deve usar Cidades para atender o DEM, nomeando Inácio Bento na Secretaria de Mobilidade, e o PRB, com Gilmar de Souza no comando de Desenvolvimento Urbano.

Desistam. Diante da retomada das articulações para votar a reforma da Previdência, o vice-presidente da Câmara, deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), mandou avisar a Temer que esqueça esse assunto.

Me dê motivos. Descontente com a nova portaria sobre trabalho escravo, o deputado mineiro esbravejou: “A reforma da Previdência não será votada porque o governo é incompetente e sem palavra”.

Estratégia. Mesmo durante o recesso parlamentar, deputados tentam um acordo para esvaziar a sessão de votação da reforma do INSS, em 19 de fevereiro.

Descanso. Treze dos 28 ministros de Michel Temer entraram em férias. O titular do Esporte, Leonardo Picciani, é quem vai se ausentar por mais tempo. Ele fica 30 dias fora.

Décimo quarto. Além dos 13 titulares, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, também saiu. Está afastado por oito dias para “assuntos particulares”.

Homem forte. Braço direito de Temer, Eliseu Padilha (Casa Civil) vai passar dez dias longe do governo. Em seu lugar, assume o subchefe para Assuntos Jurídicos da pasta, Gustavo do Vale Rocha, que vem ganhando a confiança do presidente.

Tudo certo. Procurados, os ministros afirmam que as férias foram autorizadas e publicadas no Diário Oficial da União.

Sinais Particulares: Cristiane Brasil, nova ministra do Trabalho; por Kleber Sales

Rachado. Apesar de o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), ter aceitado a indicação de Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho, a escolha criou um mal-estar na bancada. “Estou contrariado com o MDB interferindo na relação do PTB com o governo”, disse Jovair.

Arestas. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, rebateu a declaração de FHC ao Estado, de que o candidato ao Planalto precisa ser capaz de unir. “Elogio em boca própria é vitupério. A humildade não me permite autoelogio.”

CLICK. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Sérgio Etchegoyen, tem uma mesa reservada para almoçar no bandejão do Palácio do Planalto.

Foto: Isadora Peron

Caravana. Metade da bancada de deputados do PT e a maioria dos nove senadores planejam ir a Porto Alegre para o julgamento do ex-presidente Lula, dia 24. Eles vão participar dos atos de apoio ao petista.

Campanha. Carlos Vasconcelos, subprocurador-geral da República aposentado, saiu em defesa de Lula e divulgou na sua conta do Twitter o link para um abaixo-assinado pelo direito de o ex-presidente ser candidato ao Palácio do Planalto.

PRONTO, FALEI !

“O direito de expressão é fundamental, mas não pode se sobrepor ao direito do cidadão de poder ir e vir”, sobre o pedido de apoio do Exército para o julgamento de Lula”, DO PREFEITO DE PORTO ALEGRE, NELSON MARCHEZAN Jr, sobre o pedido de apoio do Exército para o julgamento de Lula.

COM NAIRA TRINDADE (editora interina) E REPORTAGEM DE LEONEL ROCHA E  ISADORA PERON. COLABOROU FELIPE FRAZÃO

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão