Por causa de cirurgia, diplomação de Bolsonaro deve ser antecipada

Por causa de cirurgia, diplomação de Bolsonaro deve ser antecipada

Coluna do Estadão

07 Novembro 2018 | 10h57

Foto: Dida Sampaio/Estadão

A presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entrou em contato nesta quarta-feira, 7, pela manhã com o ministro extraordinário Onyx Lorenzoni, futuro ministro-chefe da Casa Civil, para tratar do agendamento da diplomação do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

A sugestão da Administração do TSE é de que o eleito e seu partido antecipem em cinco dias suas prestações de contas, cujo limite é o dia 17 de novembro. Dessa forma, é possível cumprir todos os prazos previstos no calendário eleitoral e realizar a solenidade de diplomação do presidente eleito em 11 de dezembro, um dia antes da data prevista para que Bolsonaro se submeta a um procedimento cirúrgico. A data limite para a diplomação é 19 de dezembro.

Lorenzoni afirmou que irá conversar com o presidente eleito e retomar o contato com o TSE até o meio dia desta quarta-feira.