Polêmicas contaminam PL do Código de Trânsito

Polêmicas contaminam PL do Código de Trânsito

Coluna do Estadão

10 de junho de 2019 | 05h00

Presidente Jair Bolsonaro entrega PL do Código de Trânsito na Câmara. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O explícito entusiasmo de Jair Bolsonaro com a proposta que altera pontos do Código de Trânsito não será suficiente para garantir o apoio no Congresso. Parlamentares demonstram preocupação com trechos considerados permissivos demais. Na avaliação do ex-ministro da Cidades, Alexandre Baldy, que comandava o Denatran, as polêmicas inseridas no texto contaminam alterações positivas. “Tem pontos ali aproveitáveis. Mas quando se joga muita coisa polêmica num projeto de lei, é difícil você ter uma apreciação responsável”, avalia.

Dá para salvar. Segundo Baldy, a ampliação do prazo de renovação da habilitação chegou a ser enviada pelo governo anterior ao Congresso. “Com a carteira digital, não precisa ser em cinco anos. Mas é preciso manter o exame médico.”

Via… Rodrigo Maia, que é contrário às mudanças na cadeirinha, criou uma Comissão Especial para analisar o projeto. Evitou ter de votar em cada uma das seis comissões de mérito pelas quais ele passaria.

…expressa. Se tivesse passado pela Comissão de Viação e Transportes, enfrentaria “fortes resistências”. O presidente do colegiado, Eli Corrêa Filho, ouviu dos colegas duras críticas sobre alguns trechos.

SINAIS PARTICULARES. Eli Corrêa Filho, presidente da Comissão de Viação e Transportes da Câmara; por Kleber Filho

Desviando o foco. Fora, também há rejeição. “O governo quer mostrar serviço. Como não está gerando emprego, como não está conseguindo tirar o País da crise, fica pinçando uma ou outra coisa”, disse Wellington Roberto, líder do PL.

Obstáculo. Pelo acordo, a relatoria desta Comissão Especial é de escolha do PL. A deputada Christiane Yared (PR) é uma das cotadas. Ela já se referiu à proposta como “tragédia”.

Plano… A proposta do governo de reduzir o repasse de 40% para 28% do PIS para o BNDES pode ficar ainda mais duro no texto final da Comissão Especial da reforma da Previdência.

… B. Para não comprometer muito o impacto fiscal, o relator pode “calibrar” regras de transição mais amenas com a diminuição nesse repasse. O presidente do banco, Joaquim Levy, já disse que seu plano é “desmamá-lo” do governo.

Mui… O MDB apoiou mais o governo de Jair Bolsonaro (PSL) do que o de Dilma Rousseff (PT), do qual indicou até o vice-presidente. Votou com Bolsonaro em 92% das vezes. Com Dilma, o porcentual foi de 76% no segundo mandato e de 81% no primeiro.

…amigo. O índice é próximo ao de apoio ao governo de Michel Temer: 95%
A base. Os dados foram extraídos do Basômetro, ferramenta do Estadão que mede o tamanho da base aliada no Congresso desde o primeiro governo Lula.

CLICK. Marcos Pereira inaugura unidade de Saúde no interior de SP construída com emenda. “E dizem que emenda é toma lá, dá cá. Elas geram benefícios para o povo.”

Foto: Divulgação/Gabinete Marcos Pereira

Luz… A oposição quer inviabilizar a votação da reforma da Previdência neste semestre, durante o São João. Aposta que, no segundo semestre, a exposição na televisão será maior e deputados ficarão mais constrangidos em votar a favor.

Gaiato. Apresentado a Hamilton Mourão em viagem à China, o dono do grupo Paper Excellence, Jackson Widjadja, se vê às voltas com problemas no grupo da família. Foram condenados à prisão por corrupção na Indonésia três executivos de uma das empresas controladas por eles.

BOMBOU NAS REDES!

Foto: Fabio Motta/Estadão

Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro (PSL): “Onde estão os ‘super generais’ para defender o presidente diante de mais um ataque, desta vez na votação do PLN4?”, sobre a votação do crédito suplementar.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: