PMs poderão atuar no lugar de fiscais do Ibama

PMs poderão atuar no lugar de fiscais do Ibama

Coluna do Estadão

06 de maio de 2019 | 05h00

No embalo da militarização do Ministério do Meio Ambiente, o Ibama estuda a possibilidade de firmar convênios com os Estados para policiais militares ambientais também atuarem em operações da autarquia. A ideia é acionar os batalhões quando não houver “braços” suficientes na fiscalização. Hoje, os PMs ambientais já podem aplicar multas, mas ficam restritos a episódios localizados. Caso a parceria se concretize, eles poderão trabalhar em situações mais amplas, como, por exemplo, na fiscalização contra o desmatamento na Amazônia.

Tamo… O ministro Ricardo Salles emplacou integrantes da PM em cargos de dirigentes do Ibama e do ICMBio. O presidente Jair Bolsonaro, que já foi multado em 2012, disse nesta semana, que “vibrou” com as nomeações da Pasta.

… junto. “Eram pessoas que tiveram um passado junto ao batalhão florestal ou similares, tiveram ao lado de vocês”, afirmou Bolsonaro à plateia de ruralistas.

Prós e contras. Em nota, o ministério disse que os convênios “permitirão aumentar significativamente o efetivo de fiscalização”. Grupo de servidores, contudo, temem fragilizar o processo de autuações.

No front. Já são quatro postulantes do PSL para as vagas do partido na Comissão Especial da reforma dos militares: Coronel Tadeu (SP), General Girão (RN), Coronel Chrisóstomo (RO) e Léo Motta (MG) – este último, o único que não veio das Forças Armadas.

Já é… Alvo do ministro da Educação, Abraham Weintraub, as pesquisas de ciências humanas já recebem menos recursos e bolsas do que as de ciências exatas e agrárias, segundo levantamento do CNPq feito a pedido da Coluna.

…assim. Houve mais concessões de bolsas para exatas do que para humanas no ano passado (17,8 mil contra 8 mil). A proporção é a mesma desde 2009, passando pelos governos PT e MDB. Até o final de 2018, as bolsas de humanas aumentaram em 25%, enquanto as de exatas, em 67%.

Na mira. Weintraub será questionado sobre o assunto em audiência pública no Senado nesta terça-feira.

Queda… Para escolher o novo titular do TST, Bolsonaro consultou o filho Flávio. Indicou o juiz do TRT da 1ª. Região Evandro Valadão (RJ). Preteriu Wilson Fernandes (SP), que integrava a lista tríplice e tinha a simpatia de Sérgio Moro.

…de braço. No meio jurídico, a escolha foi vista como indicação de que o ministro da Justiça, tradicionalmente ouvido para indicações em tribunais superiores, não falará mais alto que os filhos do presidente.

Com a palavra. Moro não retornou os contatos.

CLICK. Marcel van Hattem e Bia Kicis conversaram com o secretário da Previdência, Rogério Marinho. Os dois estão entre os maiores defensores da reforma no Congresso.

Foto: Reprodução/Twitter Bia Kicis.

Inovação. O STF julga nesta quarta-feira ação sobre a proibição do Uber em Fortaleza. Em manifestação, a PGR, Raquel Dodge, argumentou em favor do aplicativo e disse que a lei municipal viola os princípios da livre iniciativa e valores sociais do trabalho.

Nova era. O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, enviou um ofício à corregedoria-geral e à administração para adequar os pronomes de tratamento utilizados ao decreto do governo federal que proíbe “vossas excelências”. Agora, é só senhor e senhora.

BOMBOU NAS REDES!

Secretario Especial da Previdência, Rogério Marinho. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Rogério Marinho, secretário especial de Previdência e Trabalho: “A militância, instrumento para manutenção de privilégios, é mal informada sobre o atual sistema, injusto e insustentável”, sobre fake news da Previdência.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA.

Tendências: