Plano de Lula quer resgatar política externa com América Latina e África

Plano de Lula quer resgatar política externa com América Latina e África

Gustavo Côrtes

21 de junho de 2022 | 11h05

Em nova versão das diretrizes do plano de governo de Luiz Inácio Lula da Silva, o PT promete reeditar a chamada política Sul-Sul, uma marca das relações exteriores nos governos petistas. Os defensores desta orientação pregam que a cooperação comercial e diplomática do Brasil deve privilegiar países latino-americanos e da África, em detrimento das nações consideradas desenvolvidas.

O ex-presidente Lula no ato de 1º de Maio em São Paulo. Foto: Taba Benedicto/Estadão.

A redação, que sofreu alterações até a noite desta segunda-feira, 20, véspera de sua divulgação, propõe a fortalecer organismos internacionais de comércio a parceria econômica, como Mercosul, Brics, Unasul e Celac.

“Defender a nossa soberania é defender a integração da América do Sul, da América Latina e do Caribe, com vistas a manter a segurança regional e a promoção de um desenvolvimento integrado de nossa região, com base em complementariedades produtivas potenciais entre nossos países”, diz o documento.

Tudo o que sabemos sobre:

Lula; política externa; África

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.