Planalto tenta articular seu ‘Plano Marshall’

Planalto tenta articular seu ‘Plano Marshall’

Coluna do Estadão

22 de abril de 2020 | 05h00

Foto: Andre Dusek/Estadão

Com o aval de Jair Bolsonaro, o general Braga Netto trabalha para anunciar este mês uma espécie de “Plano Marshall” (Segunda Guerra). O chefe da Casa Civil quer algo para uns “30 anos”, segundo quem ouviu dele as linhas gerais do projeto de recuperação da economia brasileira, combalida com a grave crise da covid-19. Uma reunião de Braga Netto com grandes empresários está sendo negociada para ocorrer o mais breve possível. O ministro Paulo Guedes (Economia), porém, ainda não tomou parte nas conversas sobre o assunto, restritas ao Planalto.

Área de escape. O anúncio que o governo de São Paulo promete para hoje sobre a reabertura gradual do comércio deverá condicionar a flexibilização das medidas à redução de casos da covid-19. Até ontem, a ideia também era deixar aberta a possibilidade de fechamento total se a situação escapar do controle.

Xi… Deu ruído nas conversas entre Prefeitura e Bandeirantes para a reabertura do comércio no Estado. A capital se prepara para dias ruins em maio.

Tradução. A ministra do Supremo Rosa Weber deu 48 horas para que o IBGE e a Agência Nacional de Telecomunicações expliquem como será feito o compartilhamento de dados que as operadoras de telefonia terão de fornecer sobre seus clientes e o que significa a “produção estatística oficial” durante a pandemia.

Para entender. Nesta segunda, a Coluna revelou que a OAB apresentou ao STF uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a medida provisória editada na última sexta-feira que obriga as operadoras de telefonia a entregarem informações pessoais de seus clientes ao IBGE. Para a OAB, a MP viola dados sigilosos de brasileiros e não apresenta mecanismos de segurança para minimizar o risco de acesso e o uso indevido deles.

CLICK. Preocupada com o aumento do desmatamento ilegal e do garimpo em tempos de pandemia, a Frente Parlamentar Ambientalista tem mantido suas reuniões.

Coluna do Estadão

Inquérito. Enquanto alas do MPF ainda bombardeiam Augusto Aras por excluir Bolsonaro do inquérito para investigar os atos contra a democracia, os mais otimistas já olham para frente: a bola agora está com Alexandre de Moraes, e ele tem “sangue” nos olhos, diz um colega dele.

Aritmética. Parlamentares estão com a calculadora na mão por causa do movimento de Jair Bolsonaro para ganhar  o Centrão e isolar Rodrigo Maia. Num cálculo dos cálculos, Bolsonaro teria pouco menos de 200 parlamentares, e Rodrigo  Maia, cerca de 160.

Já vi esse filme. Há temor de que o governo repita o script da reforma da Previdência: prometeu e não entregou e, se entregar, acaba fritando e tomando o cargo de volta.

Empoçou. Sob ataque dos artistas, Regina Duarte até elaborou medidas para ajudar o setor na crise da covid-19, mas elas estão paradas na burocracia da Esplanada dos Ministérios.

SINAIS PARTICULARES. 
Regina Duarte, secretária da Cultura

Ilustração: Kleber Sales

Dívida. A OAB está articulando no Congresso e no Executivo uma forma de garantir o pagamento dos precatórios, ao menos dos que já estavam programados para estes meses.

Dá uma lida. A Economia já recebeu um conjunto de 18 sugestões da entidade e prometeu dar uma resposta em breve. A suspensão dos pagamentos foi determinada por alguns municípios.

Necessidades. De acordo com Eduardo Gouvêa, presidente da comissão especial de precatórios da OAB, o não pagamento desses recursos neste momento significa “tirar dinheiro da economia”. Ele lembra que mais de 500 mil credores são idosos.

Calote. “É tirar a possibilidade dessas pessoas se defenderem da crise. Passa ainda o recado de que o Brasil, ao primeiro sinal de crise, descumpre a Constituição”, disse à Coluna.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Angelo Coronel, senador (PSD-BA): “Não sei qual é o medo da ‘corte’ de Bolsonaro: um querendo acabar com a comissão, outro depreciando os membros”, sobre ataques à CPI das Fake News.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: